Escola de Carapicuíba se pronuncia sobre morte de aluno

Escola de Carapicuíba se pronuncia sobre morte de aluno

5
Compartilhar

Em meio à críticas nas redes sociais sobre supostos equívocos no socorro, a direção da escola estadual “Cidade Ariston Estela Azevedo VI”, em Carapicuíba, emitiu nota sobre a morte do aluno Darlan dos Santos, de 16 anos, após passar mal dentro da unidade de ensino na manhã de terça-feira (7).

“Em um dos intervalos, alguns alunos vieram correndo até um de nossos inspetores e avisou que Darlan estaria desmaiado no banheiro da escola. Após o funcionário correr até o banheiro, o SAMU foi chamado imediatamente”, diz nota da escola.

Darlan estava tendo uma convulsão. “Quando é um caso clínico, já que o aluno em um certo momento estava tendo convulsão, como foi dito pelo profissional do SAMU, é orientado que deixe o paciente de lado, ou de bruços e segure sua cabeça até que a ambulância chegue. Foi o que aconteceu”.

Publicidade

A direção diz ainda que representantes da escola se mantiveram sempre a postos para auxiliar no socorro ao garoto.

Os funcionários da unidade de ensino também pedem o fim das acusações e ameaças que vêm sofrendo principalmente nas redes sociais.

Publicidade

“Estamos sendo acusados, massacrados, apontados injustamente”, continua a nota. “Tudo que pudemos fazer, fizemos. Pedimos a compreensão, a compaixão e o respeito de cada um para com cada uma das pessoas envolvidas”.

Confira a íntegra da nota:

“E.E ‘CIDADE ARISTON ESTELA AZEVEDO VI’

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Publicidade

Devido a proporção que a fatalidade tomou com acusações erroneas, falas distorcidas, e notícias mentirosas.

A gestão da E.E CIDADE ARISTON ESTELA AZEVEDO VI vem por meio desse perfil, esclarecer o que de fato aconteceu com o aluno Darlan no dia 06/05/2019 por volta das 9h40 da manhã dentro da escola.

Em um dos intervalos, alguns alunos vieram correndo até um de nossos inspetores e avisou que Darlan estaria desmaiado no banheiro da escola.

Após o funcionário correr até o banheiro, o SAMU foi chamado imediatamente.

Publicidade

Quando é um caso clínico, já que o aluno em um certo momento estava tendo convulsão, como foi dito pelo profissional do SAMU, é orientado que deixe o paciente de lado, ou de bruços e segure sua cabeça até que a ambulância chegue. Foi o que aconteceu.

Com o SAMU a caminho, foi localizado os familiares do aluno e chamado até a unidade escolar, em nenhum momento foi necessário o arrombamento do portão, como dito em algumas notícias.

Os familiares decidiram remover o aluno do local, mesmo com a ORIENTAÇÃO para NÃO fazer, pois o SAMU já estava a caminho.

Em nenhum momento foi negado socorro da Direção ou funcionários da unidade escolar, em situações como essas todos são orientados a solicitar o SAMU e esperar o atendimento.

Publicidade

Ao sair com o carro de frente da escola, na esquina da rua AO LADO da escola, os familiares de Darlan e funcionários que o acompanhavam, depararam-se com a ambulância que demorou menos de 5 minutos para chegar no local.

Foi então que ocorreu a transferência pelos médicos do SAMU, do veículo para ambulância e aos gritos todos foram apontados e criticados pelos profissionais que NÃO deveriam ter tirado Darlan do local.

Seu irmão não conseguiu acompanhar Darlan dentro da ambulância, só a sua mãe, porque apenas um acompanhante é permitido. Foi então que o mesmo foi junto dos funcionários da escola, até o Pronto socorro da Vila Dirce onde seu irmão foi levado.

Nossos funcionários permaneceram no Pronto Socorro da Vila Dirce com a mãe e o irmão de Darlan, auxiliando-os com o possível e ficaram até que o médico desse um posicionamento sobre o aluno, sua saúde e a transferência de hospital.

Publicidade

ENTENDEMOS A REVOLTA E A TRISTEZA DE TODOS!

MAS MENTIRAS, DIFAMAÇÕES, CALUNIAS E ACUSAÇÕES SEM BASE ALGUMA, MEXEM COM CADA UM DE NOSSOS FUNCIONÁRIOS E SUAS FAMÍLIAS, COLOCANDO ATÉ MESMO A INTEGRIDADE FÍSICA DE CADA UM DE NÓS EM QUESTÃO.

ESTAMOS SENDO ACUSADOS, MASSACRADOS, APONTADOS INJUSTAMENTE. EM MOMENTO ALGUM HOUVE DESCASO.

A DIRETORA NUNCA DISSE QUE NÃO IA SOCORRER PORQUE IA SUJAR SEU CARRO DE SANGUE, JÁ QUE A ORIENTAÇÃO DO SAMU É NÃO REMOVER O PACIENTE DO LOCAL.

Publicidade

TUDO QUE PUDEMOS FAZER, FIZERMOS.

PEDIMOS A COMPREENSÃO, A COMPAIXÃO E O RESPEITO DE CADA UM, PARA COM CADA UMA DAS PESSOAS ENVOLVIDAS”.

Compartilhar

Comentários

5 Comentários

  1. Ao meu ver, falta treinamento para todos os funcionários, isso é o básico!! Vamos aguardar a perícia, porque convulsão não leva a morte assim. Agora detonar os funcionários da escola é muito degradante.

  2. É muito triste o que aconteceu o meu filho pediu pra entrar no banheiro para está ajudando o amigo, mais infelizmente a diretora não deixou, e por nós ser bombeiros em casa sempre estamos ensinando os nossos filhos em casa ele sabia o que fazer mais foi barrado, e ali ele viu o seu melhor amigo sendo carregado no colo desmaiado, ele agora sofre por isso, ainda ele me disse que a diretora falou se alguém entrasse no banheiro ela iria dar uma advertência, é lamentável.

  3. Pelo amor de ps vila Dirce não lá vc só termina de morrer, emergência tem que ser levado para o HGC hospital geral de Carapicuíba lá sim eles tem suporte eu acho o maior erro é ter levado para o ps vila dirce.

  4. Realmente, pelo que sabemos a remoção de alunos menores ficam a cargo do SAMU. Foi uma fatalidade o ocorrido com o garoto. Fazer acusações levianas contra os servidores da escola não condiz com a verdade.

  5. Agora, resta aguardar o resultado da “causa-mortis” desse aluno. O inevitável aconteceu e não vai levar a lugar algum ficar acusando funcionários da escola. como é sabido, nas regiões periféricas sempre há alguns mais exaltados e querendo jogar a população contra funcionários de escolas, atribuindo -lhes responsabilidade que não lhe cabe. Que Deus guarde a alma desse jovem e console seus familiares e amigos.

Faça seu comentário

Mais notíciasBarueri abre vagas para cursos gratuitos de informática
Mais notíciasBolsonaro anuncia que GP Brasil de Fórmula 1 será no Rio de Janeiro