Imprensa tem medo de dizer que Gugu era gay, afirma Leo Dias: “Chega!”

0
Gugu Leo Dias
Fotos: reprodução

O colunista Leo Dias publicou mais um polêmico texto em sua coluna no Uol, no qual afirma que a imprensa brasileira tem medo de dizer que Gugu Liberato era gay.

“Não sei por que muitos veículos insistem em chamar Rose Miriam de ‘viúva’. Meu amor, os filhos do Gugu são fruto de inseminação artificial, Rose nunca se casou com Gugu e nunca teve relações sexuais com ele. Ela não pode ser chamada de ‘viúva’. A imprensa gosta de fantasiar que a família é formada pelo papai que transou com a mamãe e teve filhinhos lindos. Por quê? Vende mais? Dá mais cliques? Chega!”, afirma Leo Dias.

O apresentador morreu em novembro, aos 60 anos, após um acidente doméstico nos Estados Unidos. Até então apresentada como esposa dele em jornais e revistas, Rose Miriam Di Matteo ficou de fora do testamento para a divisão da herança, estimada em R$ 1 bilhão.

Publicidade

Então, iniciou-se uma batalha judicial envolvendo ela e a família de Gugu e diversos segredos e acusações vieram a tona. Em meio ao imbróglio, Thiago Salvatico, suposto companheiro do apresentador por mais de 8 anos, também acionou advogados para tentar ficar com parte da herança.

Leo Dias foi o primeiro a noticiar sobre o suposto relacionamento homossexual de Gugu e diz que enfrentou resistência para publicar a informação até na empresa onde trabalha, o Uol, que, afirma,assim como quase toda a imprensa brasileira insiste em viver uma mentira que o Gugu criou para a vida dele”.

“Eu entendo e respeito as pessoas públicas que não querem expor sua sexualidade. Elas têm o seu direito. Gugu usava a capa da revista ‘Caras’ para criar uma família fictícia na cabeça da ‘tradicional família brasileira’. Mas o que não entra na minha cabeça é, em pleno 2020, esse pensamento retrógrado e ultrapassado de achar que dizer que a pessoa é gay é algum demérito. Não é! Não pode ser!”, afirma Leo Dias.

“Gugu fez história na TV, foi o primeiro gay a apresentar um programa dominical. O legado e a importância dele não serão afetados pelo fato de ele ter se relacionado com homens. O Brasil precisa urgentemente parar de viver essa mentira”, completa o polêmico jornalista.

Leia aqui a íntegra do texto de Leo Dias no Uol.

Comentários