Integração com CPTM deve ser próxima fase do Bilhete Único em Osasco,...

Integração com CPTM deve ser próxima fase do Bilhete Único em Osasco, diz novo secretário

2
Compartilhar
lau alencar osasco bilhete único
O novo secretário de Transportes de Osasco, Lau Alencar, do PSD

Presidente do diretório municipal do PSD, Lau Alencar assumiu oficialmente a Secretaria de Transportes de Osasco em solenidade realizada na manhã desta quinta-feira (12). Um dos desafios da nova pasta é a aguardada implantação do Bilhete Único, promessa no município desde gestões anteriores. A expectativa é que o projeto apresentado pelo prefeito Rogério Lins passe pelo crivo dos vereadores e entre em vigor a partir do dia 1º de dezembro.

“A cidade ganha com isso, a população ganha, e a partir de 1º de dezembro o Bilhete Único é realidade na cidade”, diz Lau Alencar, que, na segunda-feira (9), recebeu título de Cidadão Osasquense ao lado do ex-prefeito de São Paulo e ex-ministro Gilberto Kassab. Ele comandava a Secretaria de Obras da cidade, que agora tem Waldyr Ribeiro Filho à frente.

Pela proposta apresentada pelo Executivo, o Bilhete Único de Osasco permitirá que o seu titular, com o pagamento de apenas uma tarifa, se utilize de até duas viagens em ônibus municipais em até uma hora para a integração.

Publicidade

Aos domingos e feriados, o tempo permitido para a integração tarifária será de duas horas. Ainda de acordo com o texto do projeto, não será permitida a utilização da segunda viagem na mesma linha ou ônibus em que foi realizada a primeira.

O Bilhete Único terá subsídio da administração municipal, que deve destinar cerca de R$ 10 milhões por ano para o projeto.

“Está no radar”

Publicidade

Lau Alencar afirma que será avaliada a possibilidade de que Bilhete Único permita também integração com a CPTM e com ônibus intermunicipais. “É um grande avanço iniciar e aí, depois, dependendo de recursos, porque a Prefeitura tem que subsidiar tudo isso, dependendo da condição financeira, viabilizar outras condições”, afirma o novo secretário de Transportes.

“Já está nos planos do prefeito Rogério Lins. Temos que saber qual o impacto real financeiro dessa primeira etapa do Bilhete Único. Aí, dependendo do impacto disso, já há um estudo, sim, para entender essa parceria com a CPTM, que é desejada por muitos trabalhadores. E isso está no radar”, completa.

Compartilhar

Comentários