Menino que comeu marmita envenenada em Itapevi consegue transferência e pai pede doações para ajudar hospital

0
menino marmita envenenada itapevi
Fábio Abraão foi transferido para o Hospital da Associação Cruz Verde / Fotos: arquivo pessoal

A vida de Fábio Abraão, de 11 anos, que comeu uma marmita envenenada em Itapevi, em julho, acaba de ganhar um novo capítulo. O menino havia recebido alta do hospital onde estava internado, em Taboão da Serra, mas conseguiu uma transferência para outra unidade hospitalar nesta terça-feira (27).

publicidade

“Foi difícil porque eles deram alta, mas como eu ia conseguir cuidar do meu filho em casa? Além de não falar e não andar, de tanto ele ficar deitado, saiu uma ferida do tamanho de uma laranja na perna dele. Como eu ia conseguir tratar disso também?”, voltou a questionar o pai de Fábio, ao Visão Oeste.

Flávio vendia churros na rua, mas devido à pandemia de covid-19, foi forçado a parar e tem enfrentado um tempo de dificuldades, e não teria condições financeiras para levar o filho para casa. Além de fraldas, os gastos seriam ainda maiores com medicamentos, entre outros itens necessários para os cuidados básicos do menino.

publicidade

Após meses de busca, Flávio conseguiu transferir o filho para o Hospital da Associação Cruz Verde, na capital paulista, unidade particular e filantrópica de referência em paralisia cerebral grave. Logo no primeiro dia, tratar a ferida na perna de Fábio foi uma das prioridades da equipe médica. “O Fábio foi muito bem recebido. Ele não pode falar, mas dava tanta risada com as enfermeiras, que você conseguia ver a felicidade que ele sentia. Isso me trouxe um conforto porque sei que ele continuará em boas mãos”, disse Flávio.

O hospital é mantido, sobretudo, por meio de doações de alimentos, produtos de higiene, fraldas, entre outros itens. Como uma forma de agradecer pela assistência que tem recebido desde a transferência do filho, Flávio tem se empenhado para conseguir arrecadar doações e levar para a unidade. “Já consegui alguns pacotes de fralda e vou levar para o hospital. Tudo o que eu conseguir arrecadar sei que vai ajudar o meu filho e outras crianças que estão internadas lá. É um ajudando o outro”, afirmou.

publicidade

Entre os mantimentos arrecadados pela instituição estão shampoo, desodorante, aparelho de barbear, fralda infantil (tamanho extra G), extrato de tomate, aveia, açúcar e pó de café. Quem quiser contribuir, pode entrar em contato com o Flávio Abraão, no telefone (11) 99858-9511.

Comentários