Moradores de Osasco e Carapicuíba reclamam de aumentos abusivos na conta de luz

0
Moradores de Osasco e Carapicuíba reclamam de aumentos abusivos na conta de luz
Foto: reprodução

Apesar da proibição do corte de energia elétrica até o dia 31 de julho, moradores de Osasco e Carapicuíba têm enfrentado outro problema em relação às contas de luz. O aumento no valor das faturas da Enel referentes ao mês de junho tem assustado consumidores, que relataram na internet, cobranças duas e até três vezes maior do que o habitual.

publicidade

Um morador de Carapicuíba viu a sua conta de energia saltar de R$ 70 para R$ 229. “Eu já liguei na Enel faz dez dias e não tive retorno ainda. Absurdo isso”, relatou. “A minha [conta] foi de R$ 107 para quase R$ 500, sendo que nunca paguei mais do que R$ 130”, disse outro.

Indignada, uma internauta compartilhou a conta de luz do mês de junho da mãe, que mora em Osasco, no valor de R$ 422,69. “Só moram ela e meu irmão na casa, e olha esse absurdo”, disse. “Para a minha surpresa, minha conta que geralmente vem R$ 90, saltou para R$200”, contou outro consumidor.

publicidade
Reprodução

Desde o dia 2 de abril, a Enel disponibilizou o serviço de auto leitura do medidor de energia para clientes residenciais e pequenos comércios. Os clientes que não fizerem a auto leitura terão a conta calculada pela média do consumo dos últimos 12 meses, de acordo com a empresa.

Apesar do serviço “facilitar” a medição do consumo, alguns moradores também reclamaram por encontrar o “serviço indisponível” ou mesmo após medirem a fatura, receberem um colaborador da Enel para refazer a leitura.

publicidade
Reprodução

Em resposta a um consumidor que entrou em contato para reclamar do valor cobrado, a Enel alegou ser “improcedente” o pedido para revisão da fatura, visto que o cálculo foi feito com base no consumo dos últimos 12 meses. “Informamos ainda, que devido o isolamento social em prevenção ao avanço da pandemia, o consumo de energia nas residências teve aumento significativo, por causa da utilização intensiva dos equipamentos elétricos”, justificou a Enel.

“Esse mês eu nem sei como vou pagar porque eles disseram que não podem fazer nada. Em casa, é só eu, meus filhos, uma de seis anos e outro de três. Detalhe: estou desempregada e o meu Auxílio Emergencial ainda está em Análise”, desabafou uma mulher, que compartilhou a conta de luz no valor de R$ 413,21.

Reprodução

Outro consumidor chegou a postar a foto da conta referente ao mês de junho com o valor de R$ 684,14. “Entrei em contato com a empresa e a mesma relatou que [o valor] está correto. Dois meses sem medir, antes era R$ 78, agora foi para R$ 684. Como pode isso?”.

Reprodução

Uma moradora de Carapicuíba se surpreendeu ao receber uma fatura no valor de R$858. Segundo ela, a Enel teria informado que a conta era referente aos meses de março, abril e maio. No entanto, a conta de março, no valor de R$ 219, já está paga e consta no sistema da empresa. “Reclamei na ouvidoria, mas pelo que vi não, vai adiantar nada. Bora recorrer para outros meios”.

Reprodução

Denuncie

Quem se deparar com valor de serviços ou produtos que considere abusivo, pode recorrer ao Procon-SP via site (www.procon.sp.gov.br), aplicativo disponível para android e iOS ou via redes sociais, marcando @proconsp, indicando o endereço ou site do estabelecimento.

Em Osasco, denúncias para o Procon podem ser feitas por meio do telefone (11) 3652-9060. Também é possível realizá-las por meio do site do Procon ou pelo aplicativo “Procon SP”, disponível para IOS e Android.

O Ministério Público de São Paulo (MPSP) também atua na área de defesa coletiva dos direitos ao consumidor. Para relatar aumento abusivo nas faturas, basta enviar um e-mail para para pjconscap@mpsp.mp.br com o assunto “Enel Distribuição São Paulo – Cobrança questionável”.

Comentários