Início Cidades Osasco traça estratégias para que Saúde deixe de ser apontada como principal...

Osasco traça estratégias para que Saúde deixe de ser apontada como principal problema

0
Hospital Antonio Giglio Osasco
Foto: Lana Alves/Visão Oeste

No Plano Plurianual (PPA) 2018-2021, apresentado nesta terça-feira, 8, pelo prefeito Rogério Lins (Podemos) à Câmara Municipal, a prefeitura reconhece que “a percepção da população aponta a Saúde como o maior problema do município”. No documento, a administração municipal também aponta possíveis causas e estratégias de enfrentamento a esta avaliação.

publicidade

“Essa percepção é decorrente de dois reflexos complementares do momento político atual. O primeiro é uma descrença generalizada no setor público, especialmente por parte daqueles que não utilizam os seus serviços; o outro é a descoordenação que ocorre em momentos de transição de governo, com uma equipe nova precisando ajustar o modo de atuação aos parâmetros estabelecidos pela nova administração”, avalia a Prefeitura.

“Essa descrença também se relaciona com a baixa aceitação da população do fato de determinadas especialidades não estarem – e não estarão – disponíveis em Osasco pelo Sistema Único de Saúde (SUS)”, completa.

publicidade

O texto aponta ainda “despreparo e desmotivação dos funcionários e falta de comunicação com a população no que se refere à prestação de serviços da saúde”.

Para a Prefeitura, as estratégias de enfrentamento para que a Saúde deixe de ser apontada como o principal problema do município podem ser desdobradas com o aperfeiçoamento mecanismos de comunicação institucional; implantação de uma central de relacionamento nos moldes dos hospitais privados, o que reduziria consideravelmente o absenteísmo em consultas; qualificação no atendimento. “Além disso, deve-se melhorar e qualificar o atendimento, além do acesso da população aos serviços”, complementa a administração no PPA 2018-2021.

publicidade

O documento também aponta outros problemas avaliados pela atuação gestão na Saúde, como desempenho da atenção básica pior do que a média estadual e indicadores referentes à saúde de mulheres e crianças ruins.

Comentários