Polícia prende osasquense apoiador de Bolsonaro que participou de manifestação contra ministro do STF

0
Polícia prende osasquense apoiador de Bolsonaro que participou de manifestação contra ministro do STF
Antônio Carlos, de Osasco, e Jurandir Alencar foram presos neste sábado (16) / Foto: Reprodução Polícia Civil

A Polícia Civil prendeu, neste sábado (16), dois apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (Sem partido) que participaram de um protesto em frente ao prédio do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes. Um dos réus é Antônio Carlos Bronzeri, de Osasco.

No dia 2 de maio, aproximadamente 15 manifestantes se reuniram em frente ao prédio do ministro em São Paulo. Com cartazes, bandeiras do Brasil e caixas de som, os apoiadores de Bolsonaro disferiram palavras de ofensas contra Alexandre de Moraes e o STF. Três pessoas foram detidas, incluindo o engenheiro osasquense Antônio Carlos Bronzeri, de 64 anos.

Os apoiadores do Bolsonaro foram presos em flagrante no dia da manifestação e liberados após pagamento de fiança. No entanto, tinham que cumprir recolhimento domiciliar durante a noite e nos dias de folga. Também foram proibidos de deixar a cidade sem autorização judicial por mais de 8 dias.

Publicidade

Na denúncia, o Ministério Público pediu que as penas fossem agravadas por se tratar de crimes contra funcionário público e em meio à situação de calamidade pública, que se trata da pandemia de covid-19.

Neste sábado, Antônio Carlos Bronzeri e Jurandir Alencar foram presos novamente por descumprir as medidas cautelares. Não podiam sair de casa, mas foram vistos na rua novamente em atos como a manifestação de caminhoneiros contra a quarentena.

Os dois homens respondem agora pelos crimes de desobediência, incitação ao crime e descumprimento de medida sanitária preventiva.

O osasquense Antônio Carlos Bronzeri foi ainda alvo de outra ação no MP, por publicar na internet um vídeo de sua autoria que desmente a existência da pandemia de covid-19. O vídeo foi retirado do ar por se tratar de fake news.

Comentários