Franco Cocuzza (2º, da esq. para dir.) concedeu entrevista à TV Osasco nesta quarta, 15

Em entrevista ao programa “Fala a Verdade”, da TV Osasco, exibido ao vivo nesta quarta-feira, 15, o pró-reitor do Unifieo, Franco Cocuzza, minimizou as alegações de dificuldades financeiras enfrentadas pelos professores da instituições, que estão com seis salários atrasados.

publicidade

De acordo com Cocuzza, os docentes não dependem só dos vencimentos pagos pela instituição.

“Todo professor dá aula em dois, três, quatro locais (…) Se fulano optou em trabalhar [apenas] lá e trabalhar duas vezes na semana, problema dele”, disse, ao ser questionado no programa “Fala a Verdade”, da TV Osasco, sobre as dificuldades financeiras enfrentadas pelos docentes que estão sem pagamento. O programa é apresentado pelos jornalistas Gurupy Martins e Nilson Martins.

publicidade

Na semana passada, o Unifieo demitiu por justa causa mais de 100 professores grevistas. Os docentes afirmam que demissões durante greves são proibidas por lei e que vão acionar a Justiça.

publicidade

O pró-reitor também declarou que outros professores serão contratados no lugar dos demitidos e que eles topam ficar temporariamente sem pagamento. “São professores que sabem que não vão receber. Eles estão felizes de serem contratados”.

“Estamos sendo massacrados”, diz pró-reitor

“Não tem dinheiro [para pagar os professores]”, frisou Cocuzza à TV Osasco. Ele também reclamou de um suposto “massacre” à imagem da instituição na mídia e nas redes sociais.“Estamos sendo massacrados nos meios de comunicação, internet e tal”.

De acordo com Cocuzza, o Unifieo vai cortar cursos, despesas e se reorganizar. “Unifieo vai ficar pequena, mas vai ficar consistente e pronta para crescer”.

Comentários

12 COMENTÁRIOS

  1. Seguinte a todos que leem esses comentários, Eu tenho uma empresa para fornecer o derivado de produção de etanol, estou contratando inicialmente 320 pessoas para trabalhar cortando cana, mas por conta da recessão vcs a principio não receberão salario, mas acredito que vcs trabalharão com sorriso largo no rosoto, porque coloquei minha casa a venda e assim que vende-la pagarei vcs oq acham? alguém se dispõe?

  2. O que realmente não da pra entender é a tranquilidade que esse sujeito fala, sério mesmo, imagine vc tendo quase 6.000 clientes, e em 1 ano vc fica com 1.818 (pra ser exato como ele diz) o que aconteceria? Ficaria todo tranquilão achando que é só uma fase, e coloca a culpa nos ombros de terceiros, no caso dos professores de da recessão? Fala sério, tem coisa mais profunda aí.

  3. Ele é Desembargador? Nossa….pensei se tratar de uma pessoa leiga, inocente e ignorante em critério de leis, que levasse a vida engrandecendo sua alma com voluntariado. O Estado poderia se abster de pagar seus servidores, afinal, o Estado também está quebrado…

  4. Trabalhei 8 anos no Unifieo, sempre tive orgulho dos meus colegas e dá instituição. Sempre zelamos pela instituição, trabalhamos mais de um ano com salários atrasados e nunca a difamamos para os alunos. Quando iniciamos o processo de assembleias para a greve, os alunos se espantaram, pois para eles estava tudo certo. Fizemos um trabalho excelente e competente, tivemos reconhecimento pelos alunos, tanto que a partir do momento que entramos em greve e a situação se complicou, eles perceberam como estávamos sendo tratados pela universidade e resolveram solicitar transferência. Se Cocuzza não abandonamos nosso trabalho, as assembleias eram realizadas na faculdade, todos sabiam que estávamos em greve.

  5. O sr Cocuzza, nessa entrevista defensiva , faz cálculo equivocado , propositadamente, do número de professores ativos na Instituição. Favor consultar RH para atualização de dados.
    O sr. Cocuzza deixa de respeitar a classe dos professores. Promete salários para os iniciantes, permite que trabalhem sem horizonte de recebimento, não acerta o pagamento do grupo demitido em junho 2017, demite por justa causa rasgando a CLT. Que belo papel sr. Pro reitor!
    Foi uma entrevista, no mínimo, leviana. Justificar incompetências acusando outras Instituições é isso.
    Os entrevistadores se apequenar.

  6. Tomara que a nossa Unifieo volte pros trilhos. É um dos orgulhos da nossa cidade. E, sinceramente, acho que os professores deviam resolver seus problemas com a faculdade. Sair difamando a instituição onde trabalharam por tanto tempo também é ruim para a carreira deles. É pra isso que existe a justiça do trabalho.

    • NÃO HÁ “DIFAMAÇÃO”, OS PROFESSORES ESTAVAM DE GREVE COM TODO O DIREITO, POIS ESTÃO SEM RECEBER SALÁRIOS E FORAM DEMITIDOS ILEGALMENTE. RUIM PARA A CARREIRA É TRABALHAR NUM LUGAR ONDE NÃO SE É VALORIZADO.

    • Pq vc não doa seu salário? Ou vc já trabalha de graça? Não se trata de difamação, mas de fatos. Procure se informar antes de opinar. Foi feio!

    • Difamação? ué quem atrasa salário e faz o professor de escravo deve se falar bem? Não sei em que planeta vc vive, mas no planeta Terra isso não existe, é melhor se inteirar mais do assunto antes de opinar

    • Exato Patrícia, os professores ao invés de acertarem os problemas com a Instituição, fizeram uma “reunião de boteco”, alguns professores, e legitimaram a “greve”. Quem esta ganhando com isso? Professores foram demitidos, a instituição esta sem moral e perdeu significamente sua receita, e o principal….os alunos, que foram os mais prejudicados com essa tal de greve! E dps ficam SIM, difamando a faculdade…lamentável! se era esse corpo docente que tinha… sou aderente às demissões!

  7. Será que ele topa ficar sem o salário de Pró-Reitor dele também?
    Comentários infelizes desse senhor.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui