Uber amplia testes de ferramenta que permite que motoristas não aceitem viagens em dinheiro

0
Uber

A Uber anunciou nesta segunda-feira (28) que vai expandir os testes com a ferramenta que dá aos motoristas parceiros a opção de aceitar ou não viagens com pagamento em dinheiro. Se decidir ativá-la, o motorista parceiro passa a não receber mais chamados para esse tipo de viagem, recebendo somente viagens que tenham outros meios de pagamento (como cartão de crédito e débito).

publicidade

A análise desse recurso, que já vem sendo testado pela empresa em sete cidades brasileiras – Campo Grande, Cuiabá, João Pessoa, São José dos Campos (SP), São Luís, Sorocaba (SP) e Ribeirão Preto (SP) – será agora expandida para mais três cidades do interior de São Paulo: Mogi Guaçu, Bragança Paulista e Marília. Os novos testes começam nas próximas semanas.

“Os motoristas parceiros vêm expressando sua preferência por poder escolher a forma de receber seu pagamento. A ampliação dos testes atuais é uma etapa fundamental nesse processo, para avaliarmos uma possível implementação”, diz a diretora-geral da Uber no Brasil, Claudia Woods.

publicidade

A partir da avaliação resultante dos testes, novos aprimoramentos ainda poderão ser feitos, buscando equilibrar a experiência de motoristas parceiros e usuários, diz a empresa.

Outros recursos

Com o objetivo de dar ao motorista mais transparência nas informações de cada viagem, este ano a empresa já havia implementado nas capitais e em algumas outras cidades o recurso que mostra aos motoristas parceiros o destino do usuário antes mesmo da aceitação da viagem. A mesma tela mostra ainda se o usuário tem poucas viagens pelo aplicativo.

publicidade

Em julho, a Uber anunciou parceria com a Serasa Experian para validação das informações dos usuários do aplicativo que optam por fazer pagamentos somente em dinheiro. A ferramenta que faz a checagem, denominada u-Check, foi a primeira a ser desenvolvida pelo recém-constituído time de engenheiros do Tech Center instalado pela empresa em São Paulo, em parceria com o time de engenheiros da Uber em São Francisco (EUA).

O projeto permite que a Uber, a partir dos dados fornecidos pelo usuário no cadastro, como o CPF, obtenha informações adicionais via API.

Comentários