Doria decreta quarentena de 15 dias em todo o estado contra o coronavírus

0
doria quarentena coronavírus
Foto: reprodução

O estado de São Paulo vai entrar em quarentena oficial de 15 dias a partir de terça-feira (24), anunciou, neste sábado (21), o governador João Doria. A medida é mais uma das ações de combate à disseminação do novo coronavírus (covid-19).

publicidade

Com isso, o comércio e serviços não essenciais deverão ser fechados em todo o estado, com a manutenção apenas dos considerados essenciais.

Poderão continuar funcionando apenas hospitais, clínicas, farmácias e clínicas odontológicas, públicas ou privadas, transporte público, transportadoras e armazéns e empresas de telemarketing, pet shop, deliverys, padarias, açougues e supermercados.

publicidade

Restaurantes, cafés e bares terão de fechar as portas em todo o estado. Só será permitida a comercialização por meio do delivery.

“A partir da próxima terça-feira, 24 de abril, nós decretamos quarentena aos 645 municípios do estado de São Paulo por 15 dias, a partir do dia 24 de março até o dia 7 de abril. Isso implica na determinação, na obrigação, do fechamento de todo o comércio e serviços não essenciais à população em todo o estado de São Paulo pelo período de 15 dias, começando no dia 24 de março, terça-feira, até o dia 7 de abril. Esta medida poderá ser renovada, estendida ou suprimida se houver necessidade, mas ela faz parte das informações que nós temos embasadas da Secretaria de Saúde e do Centro de Controle do Covid-19”, declarou o governador.

publicidade

“Quero esclarecer também que os serviços essenciais nas áreas de saúde pública, alimentação, abastecimento, segurança e limpeza deverão seguir funcionando”, ressaltou Doria.

Doria afirmou que irá usar a Força Policial, caso necessário, para evitar qualquer tipo de aglomeração de pessoas.

“Gostaria que o país tivesse um presidente que não minimizasse os problemas”, diz Doria

O governador de São Paulo voltou a criticar a postura do presidente Jair Bolsonaro, que insiste em minimizar o coronavírus, que definiu como “gripezinha”. “Como governador do estado, eu gostaria que o país tivesse um presidente que liderasse o país em uma crise como essa e não minimizasse problemas e dissesse que o coronavírus é uma gripezinha ou relativizasse uma questão tão grave para o país e pára os brasileiros nesse momento”, disse Doria. “É muito triste em um momento como esse que não tenhamos uma liderança nesse país capaz de orientar os brasileiros, acalmar os brasileiros, tomar atitudes corretas.”

O estado de São Paulo registrou, até esta sexta-feira (21), 15 mortes de pessoas infectadas pelo coronavírus, 396 casos confirmados e 34 pacientes internados em UTIs em tratamento. Todas as mortes foram confirmadas na capital paulista. São 9 mil casos suspeitos.

A publicação do decreto será feito no Diário Oficial do estado. (Com informações do G1)

Assista entrevista coletiva do governador João Doria sobre novas ações de combate ao coronavírus neste sábado (21):

Comentários