Candidato que disse que “tráfico nem devia ser crime” é suspenso do Partido Novo

0
partido novo osasco
Reprodução

Após gerar polêmica ao declarar que “tráfico nem devia ser crime”, Marcelo Castro, candidato a vereador na Capital, foi suspenso pelo Partido Novo.

publicidade

A declaração polêmica foi feita em uma postagem no Twitter sobre a soltura do traficante André do Rap. “O tal do “André do Rap” tava preso temporariamente há um ano. A lei é clara: prisão preventiva por mais de 90 dias tem que ser fundamentada. Não foi. Acerta MAM (Marco Aurélio Mello, ministro do STF). Ademais, o cara foi preso por tráfico, não por assassinato ou latrocínio. Tráfico nem devia ser crime”, postou Marcelo Castro.

publicidade

A postagem gerou polêmica e ele comunicou sua suspensão do Novo. “Discordo, mas respeito a decisão do partido”, comentou.

O candidato mantém sua posição, mas avalia que poderia ter se expressado melhor: “A minha opinião de que ‘tráfico não deveria ser crime’ permanece e fico feliz de contribuir neste debate, ainda que tenha me expressado mal”.

publicidade

“Penso que a guerra às drogas falhou miseravelmente. Portanto, penso que a descriminalização [das drogas] com conscientização é o melhor caminho”, explicou.

Ele também se retratou por se posicionar em favor da soltura de André do Rap, que é acusado de ligação com o PCC. “Muita gente falando que o tal do “André do Rap” era um chefão do PCC. Eu não sabia. Com esse nome, achei que era vendedor de droga de baile funk. Vi as matérias agora, parece grave. Neste caso, há claro risco à garantia da ordem pública. Me retrato”.

Comentários