Ceagesp na região? Permissionários criticam indefinição do governo do estado

0
Ceagesp

O presidente do Sindicato dos Permissionários em Centrais de Abastecimento de Alimentos do Estado de São Paulo (Sincaesp), Cláudio Furquim, e o presidente da Associação dos Permissionários do Entreposto de São Paulo (APESP), Onivaldo Comin, acusam o governo do estado de omissão na decisão sobre o futuro da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp).

publicidade

Eles afirmam que esta é a principal causa para o que definem como “situação caótica” do atual entreposto, com problemas logísticos e prejuízos aos negócios, além da insegurança nos permissionários.

O pronunciamento deles foi realizado hoje (17) após o governo do estado adiar mais uma vez a decisão relativa ao chamamento público e não se posicionar sobre a data em que anunciará o projeto escolhido.

publicidade

Entre as possibilidades está a transferência da Ceagesp para a região da Lagoa de Carapicuíba ou para Alphaville, onde é alvo de cíticas de boa parte dos moradores.

“O governo de São Paulo está tumultuando tudo. Ele abre um chamamento público, mas não nos informa o que está acontecendo e nem se irá acontecer. Ele recebe propostas de revitalizar a atual Ceagesp, mas não avisa se irá prosseguir com isso. Ele está sendo omisso e criando uma situação de insegurança e problemas para os permissionários. Não vamos ficar de braços cruzados, vamos agir e lutar para o bem do abastecimento. O Ceasa não pode permanecer no limbo em que se encontra”, afirma Cláudio Furquim, presidente do Sincaesp.

publicidade

“Isso aqui está parecendo fim de feira”, declara Comin. “Não dá mais para ficar esperando essa decisão e conhecer o que vai acontecer com a gente. Estamos em uma situação precária, trabalhando em condições péssimas, com diversos problemas e uma grande insegurança sobre nosso futuro. Se houver mudança, precisamos saber quando e para onde será, para nos planejar e ter uma perspectiva, mas não vemos nenhuma preocupação do governo do estado em resolver, nos prazos estabelecidos, algo decisivo para todos os permissionários da Ceagesp”, alertou o presidente da APESP.

Prazos ignorados

O resultado do chamamento público, segundo o prazo originalmente estipulado no edital, deveria ter sido anunciado em 11 de maio.

Contudo, mudanças na Secretaria de Agricultura e Abastecimento resultaram em um pedido de prorrogação de 60 dias. Este segundo prazo encerrou-se no dia 12 de julho, mas não houve qualquer pronunciamento ou definição de uma nova data.

Essa indefinição está gerando insegurança e já começa a causar tensões no mercado, afirmam os representantes dos permissionários.

Atualmente a Ceagesp recebe produtos de mais de 1,5 mil municípios brasileiros e abastece cerca de 60% da Grande São Paulo com frutas, legumes, verduras, flores e peixes.

Propostas

O governo do estado recebeu quatro propostas de implantação de seu novo entreposto, com a transferência da Vila Leopoldina, em São Paulo. Entre elas, duas estabelecem a implantação da nova Ceagesp na região. São elas:

– Imóvel em Santana do Parnaíba com 4 milhões de m² e sugestão de operar com área construída de 1 milhão de m². O acesso é pelo Rodoanel Oeste e rodovias Castello Branco e Anhanguera. Investimento necessário previsto: R$ 2,2 bilhões.

– Terreno na Lagoa de Carapicuíba, em Barueri, próximo a Osasco, também com acesso pelo Rodoanel Oeste, com 1,9 milhão de m² no total e área construída sugerida de 864 mil m². Investimento necessário previsto: R$ 2,3 bilhões.

As outras propostas entregues para serem avaliadas foram:

– Terreno de 2 milhões de m² na Avenida Raimundo Pereira de Guimarães, na junção dos trechos norte e oeste do Rodoanel. A proposta é operar com área construída de 482 mil m². Investimento necessário previsto: R$ 1,3 bilhão.

– Área com 4 milhões de m² no km 26 da Rodovia dos Bandeirantes, com acesso pelo Rodoanel Oeste. A área construída não foi especificada. Investimento necessário previsto: R$ 1,5 bilhão.

Comentários