Gostou de O Gambito da Rainha? Osasco tem escola gratuita de xadrez

0
o gambito da rainha netflix
O Gambito da Rainha se tornou a minissérie mais assistida da Netflix / Foto: Divulgação

Lançada em outubro, O Gambito da Rainha se tornou a minissérie mais assistida da história da Netflix. Em um mês, mais de 62 milhões de assinantes maratonaram os sete episódios da produção, que conta a história de uma jovem prodígio do xadrez. Para os amantes da série, que desejam aprender ou a desenvolver suas habilidades no jogo, Osasco possui uma escola gratuita de xadrez, mantida pela Prefeitura.

publicidade

A Escola de Xadrez de Osasco, localizada na Biblioteca Monteiro Lobato, recebeu o nome de Antônio José França Garcia em 1980, em homenagem póstuma ao enxadrista osasquense de mesmo nome. França, como era chamado, se destacou em diversas competições e foi considerado um exemplo por sua profundidade e e dedicação ao estudo do xadrez.

Em meio às aulas aprofundadas, os alunos da instituição se lançam em torneios e colocam os gambitos e todas as demais técnicas do jogo de tabuleiro em prática. Em julho deste ano, o pequeno enxadrista osasquense Henrique Rocha Muniz, de 7 anos, conquistou o título de Mestre Nacional de Xadrez após ganhar o Campeonato Brasileiro Escolar online.

publicidade
Henrique Muniz xadrez osasco
O aluno Henrique Muniz, de 7 anos, é bicampeão brasileiro da categoria sub 08 / Foto: Reprodução

Desde março, devido à pandemia de covid-19, a escola, que tinha 130 alunos matriculados, está fechada e as aulas presenciais suspensas. No entanto, o xadrez encontrou outro caminho em meio à quarentena: as plataformas digitais, onde a escola buscou se inserir e já promoveu sete torneios online. O último, que encerrará a temporada deste ano, será no dia 13 de dezembro.

“Não paramos. Continuamos dando aulas online para os nossos alunos de destaque, desde o Henrique Muniz, que é bicampeão brasileiro da categoria dele, até os alunos adultos das equipes feminina e masculina”, explicou Wagner Madeira, Mestre da Federação Internacional de Xadrez, gestor da escola e professor técnico das equipes de competição, ao Visão Oeste.

publicidade
Camila Ferreira e Gabriela Vitória são enxadristas da equipe feminina da Escola de Xadrez de Osasco / Fotos: Cícero Tavares/Reprodução

Além das atividades online, Wagner, que está na instituição há 38 anos, afirma que tem buscado promover o xadrez por meio das redes sociais da escola, com a divulgação da história dessa modalidade, curiosidades, entre outros conteúdos. “Estamos procurando nos adaptar a esse momento tão crítico de reclusão das pessoas devido à pandemia”.

“Queremos fazer da Escola de Xadrez de Osasco um centro de referência nacional”, diz o mestre

Atualmente, as inscrições para ingressar na Escola de Xadrez de Osasco estão suspensas. O retorno das atividades presenciais está condicionado à vacina da covid-19. “Acreditamos que, se iniciada a vacinação no início do ano, teremos condições para voltar a trabalhar com mais segurança. Enquanto isso, esperamos que a vacinação se dê o quanto antes para que a gente possa trabalhar com os nossos alunos presencialmente”, destacou Wagner.

Assim que as atividades presenciais forem retomadas, os interessados poderão se inscrever gratuitamente. Crianças, jovens e adultos poderão aprender xadrez. Além disso, o único requisito exigido é que o interessado tenha idade para estar matriculado em uma rede escolar.

O gestor explicou ainda que, durante a pandemia, foram concentrados esforços para estruturar a instituição, que agora já tem personalidade jurídica. Além disso, destacou a proposta do plano de governo do prefeito Rogério Lins (PODE), que visa dar visibilidade e assistência à escola.

Com o apoio do Poder Público, Wagner afirma que pretende colocar em prática projetos de xadrez nas escolas e para a terceira idade, além de intensificar a divulgação dessa modalidade nas plataformas digitais. “Queremos ocupar esse espaço para atrair cada vez mais o interesse das pessoas pelo xadrez. Não apenas em Osasco, mas no Brasil a fora”.

“A gente acredita que a Escola de Xadrez terá condições de conceder conteúdos que poderão ser utilizados por outras escolas que ensinem xadrez. A gente vai poder disponibilizar esse conteúdo gratuitamente e ter um alcance nacional com esse projeto. Queremos fazer da escola de xadrez um centro de referência nacional”, continua.

O Gambito da Rainha e a procura por xadrez

Ao comentar a sobre a produção da Netflix, o mestre enxadrista destacou o aumento na procura pelo xadrez. “Realmente, o Gambito da Rainha provocou uma procura maior pelo xadrez. Impressionante como uma série pode despertar tanto interesse na população”.

A produção é baseada na ficção do livro que tem o mesmo nome, escrito por Walter Tevis e publicado em 1983. O Gambito da Rainha acompanha a vida e evolução da jovem órfã Elizabeth Harmon (Anya Taylor-Joy), que se torna um prodígio do xadrez ainda na infância, na década de 1950. A jornada da enxadrista é marcada pelo enfrentamento de traumas antigos e vícios autodestrutivos ao mesmo tempo em que vive uma ascensão impressionante.

Após a estreia da série, os termos “Jogada Siciliana”, “Gambito da Rainha” e “Jogadas de xadrez” cresceram, respectivamente, 300%, 250% e 150% nas buscas do Google, de acordo com um levantamento divulgado pela consultoria Decode. A protagonista teria influenciado ainda as buscas, sendo que 73% das pessoas que fizeram essas pesquisas são mulheres e 27% homens.

Comentários