Modernização começa nos próximos dias e calçadão de Osasco funcionará 24h, gerando 2 mil novos empregos, diz Rogério Lins

0
concurso calçadão osasco
Reprodução

Devem ser iniciadas nos próximos dias as obras de reforma e modernização da região central de Osasco, segundo o prefeito Rogério Lins (Podemos). O projeto inclui a cobertura do calçadão da rua Antonio Agu, um dos principais centros comerciais do país, que passará a ter lojas abertas também no período noturno, o que deve gerar cerca de dois mil novos empregos, avalia o prefeito.

publicidade

“Nos próximos dias iniciam as obras de cobertura e modernização da região central de Osasco. Serão mais de 2 mil novos empregos com o calçadão funcionando também no período noturno. A região também terá atividades artísticas, gastronômicas e culturais”, declarou Rogério Lins por meio das redes sociais na noite desta sexta-feira (25).

O projeto

O projeto para a reforma foi definido no ano passado, por meio de um concurso. A proposta vencedora inclui a cobertura do calçadão, uma praça em frente ao Osasco Plaza Shopping, áreas destinadas ao comércio popular nas laterais do shopping e tornar o trecho da rua Antonio Agu fora do calçadão exclusivo para ônibus, com alterações no tráfego de veículos.

publicidade
projeto calçadão osasco
Projeto prevê cobertura do calçadão de Osasco
projeto calçadão osasco
Reprodução
projeto calçadão osasco 4
Reprodução
projeto calçadão osasco
Reprodução

As autoras do projeto vencedor do concurso, realizado por meio de parceria entre a Prefeitura, a Associação Comercial e Empresarial de Osasco (ACEO) e a Associação dos Arquitetos e Engenheiros de Osasco (AEAO), são Letícia Juliana Pazian e Marina Vasarini Lopes, que ganharam um prêmio de R$ 20 mil.

Clique aqui e confira todos os projetos apresentados no concurso

publicidade

O presidente da AEAO, Leandro Fogaça, destacou: “Com certeza, o projeto somará ainda mais para o desenvolvimento de nossa cidade, viabilizando um lugar mais moderno, estruturado e confortável aos frequentarem o calçadão, que hoje é o segundo maior polo de vendas do Estado de São Paulo”.

Na época, a Prefeitura afirmou que planejava tirar a proposta do papel já no primeiro semestre deste ano, mas a pandemia de covid-19 atrasou a iniciativa.

Comentários