Pai e filho que mataram mulher em Carapicuíba são condenados a 18 anos de prisão

0
matou mulher carapicuíba
Com ajuda do pai, que também foi condenado, Deda matou Maria Madalena a facadas em frente a bar em Carapicuíba / Fotos: reprodução

Um homem que matou a facadas a ex-mulher em frente a um bar na região central de Carapicuíba foi condenado a 18 anos e 8 meses de prisão, segundo informações da Promotoria de Justiça da cidade. O pai dele, que o ajudou no crime, recebeu a mesma pena.

publicidade

Alexandre Maximiano, o Deda, de 39 anos, esfaqueou Maria Madalena da Silva, 48, após vê-la com outro homem no bar. O crime aconteceu em outubro do ano passado.

Segundo a promotoria, com ajuda do pai, Norival, conhecido como Cotão, Deda tirou a ex-companheira do bar e matou-a com sete facadas, sendo cinco nas costas. Cotão teria segurado Maria Madalena durante o assassinato.

publicidade

Após matar a ex-mulher, Deda fugiu e passou uma semana foragido, até ser detido pela polícia ao se envolver em uma confusão na Estação Barra Funda.

Leia também: Justiça de Osasco obriga Silvio Santos a fazer exame de DNA e suposta filha pede: “Não me julgue”

publicidade

O homem tinha histórico de agressões contra Maria Madalena, mãe de três filhos, que chegou a ter uma medida protetiva contra ele. Alexandre não aceitava o fim do relacionamento de quase 4 anos. A perseguia e ameaçava.

De acordo com a Promotoria de Justiça de Carapicuíba, os jurados reconheceram que o crime foi praticado por motivo torpe, com recurso que dificultou a defesa da ofendida e com violência doméstica.

O crime é considerado hediondo. Alexandre (Deda) terá que cumprir pelo menos dois quintos da pena em regime fechado antes de pleitear qualquer benefício. Já Norival (Cotão), que era reincidente, terá que aguardar três quintos da pena em regime fechado.

Comentários