Rei das Unhas: homem vira manicure e monta próprio estúdio de beleza

0
Rei das Unhas manicure
O empresário precisou ignorar o preconceito para trabalhar como manicure / Fotos: Reprodução/Instagram

O empresário Wallace Costa, de 30 anos, já atendeu quase mil clientes desde que decidiu entrar para o ramo da beleza. Considerado o “Rei das Unhas”, o carioca, hétero, casado e pai de um filho de dois anos, precisou ignorar o preconceito desde os 14 anos, quando começou a trabalhar como manicure.

publicidade

Com seu estúdio instalado no centro comercial atacadista, na zona Norte do Rio de Janeiro, Wallace recebe clientes que desembolsam R$ 200 mensalmente para fazer alongamento de unha e manutenção do serviço, que leva cerca de três horas.

Rei das Unhas manicure
Fotos: Reprodução/Instagram

O empresário atende somente às sextas-feiras e tem um público fidelizado, mas nem sempre foi assim. “Eu achei que ele fosse viado”, disse Jéssica de Abreu, cliente de Wallace, em entrevista ao UOL. “Fui ver que ele era ‘homem’ quando fiz o primeiro alongamento [de unha]”, explicou.

publicidade

Lidar com o preconceito é algo que o carioca faz desde que decidiu fazer o curso de manicure, ainda quando tinha 14 anos. “Quando eu comecei a fazer o curso, foi sinistro. Mas logo todo mundo viu que não tinha nada a ver, que aquele pensamento [preconceituoso] é coisa de gente fraca da cabeça”, explicou, ao UOL.

wallace costa rei das unhas
Foto: Reprodução/Instagram

Nas redes sociais, o empresário soma cerca de 400 mil seguidores em seus perfis pessoal e profissional. Ele contou que a maior parte de sua clientela é da comunidade e, que mesmo em meio à pandemia, optaram por manter o cuidado com as unhas diretamente com ele.

publicidade

Manicure não, nail designer

A profissão de manicure é vista por muitos como própria para mulher. No dicionário Michaelis, por exemplo, a palavra manicure significa “mulher especializada no tratamento e embelezamento das unhas das mãos e dos pés; manicura”. O termo, no entanto, foi considerado por Wallace como insuficiente para definir sua arte. Vinte anos depois dos primeiras trabalhos, o profissional passou a se definir como nail designer.

Fotos: reprodução/Instagram

Wallace usou todo o preconceito que já sofreu em sua trajetória como marketing a seu favor. Hoje, além de ter seu estúdio, ele viaja o Brasil inteiro para ministrar seu curso de alongamento. Essa iniciativa rendeu ao empresário a oportunidade de formar cerca de quatro mil pessoas, além de cruzar com a vida de Caroline Gabriela dos Santos, uma manicure de Cuiabá, no Mato Grosso, que teve depressão pós-parto e só conseguiu retornar ao trabalho com ajuda do professor.

Leia também: Ele não é o pai… e mulher deve indenizar ex-companheiro por falsa atribuição de paternidade

Comentários