Vizinha mata e esconde o corpo de cachorra embaixo da cama

0
Meg teria se assustado com fogos de artifício e foi parar, por engano, na casa de uma vizinha / Foto: reprodução/Cidade Alerta

Uma mulher matou e escondeu debaixo da cama o corpo uma cachorra da raça Shitzu, de apenas três anos, em Taboão da Serra, no sábado (8). Segundo os donos, Meg teria se assustado com o barulho de fogos de artifício após a final do Campeonato Paulista, na qual o Palmeiras venceu o Corinthians nos pênaltis, foi parar, por engano, na casa de uma vizinha, de onde não saiu com vida.

publicidade

Os tutores da cachorra contaram que logo quando notaram a ausência dela, começaram a procurar pelos cômodos da casa, pois sempre que ela se assustava com fogos, se escondia. “Quando percebemos que ela não estava em casa, saímos para a rua e começamos a gritar pelos vizinhos, procurando por ela”, contou a tutora de Meg, ao “Cidade Alerta”, da Record TV.

Segundo os tutores de Meg, um rapaz disse ao casal que viu a cachorra na rua e a entregou para uma mulher, na vizinhança, que teria alegado ser a dona do bichinho. Ao saber da informação, o casal foi à casa da mulher. “Ela negava que tinha pego o cachorro, mas a gente tem testemunha que sim, que ela pegou. E aí a gente começou a chamar pelo nome da Meg, mas a mulher negava que ela estava lá e a gente implorava ‘por favor, devolve ela’”, contou.

publicidade

A família chamou a polícia, registrou o boletim de ocorrência, mas ainda assim não tinha permissão para entrar na casa da vizinha. O casal passou a gritar o nome de Meg e escutou a cachorra chorar ao ouvir a voz dos donos. Assim que a polícia deixou a rua, vizinhos teriam dito que a mulher chegou a apagar as luzes.

Momentos depois, a própria vizinha chamou o SAMU e revelou estar com o corpo de Meg. A cachorra foi encontrada sem vida, embaixo da cama da mulher, dentro de um saco plástico. Meg teria sido morta por afogamento.

publicidade

“Meu irmão achou o corpo da minha cachorra lá dentro. Ela teve a capacidade de falar que quem colocou o corpo da cachorra lá na casa dela foi o meu irmão. Ela teve consciência do que fez e por isso, queremos justiça”, desabafou a tutora de Meg.

A vizinha foi levada à uma delegacia para prestar esclarecimentos. Revoltados, dezenas de vizinhos gritavam “assassina” em frente a sua residência, de onde ela saiu escoltada por policiais.

Comentários