Nasce filho de um dos PMs mortos por falso policial civil na avenida Escola Politécnica

0
policial militar escola politecnica (1)
Reprodução / Polícia Militar

Por apenas três dias, o soldado da Polícia Militar Victor Rodrigues Pinto da Silva, de 29 anos, não conheceu o filho. O pequeno Samuel Victor nasceu na manhã desta terça-feira (11). O pai foi um dos três policiais militares mortos pelo falso policial civil Cauê Doretto de Assis, 24, que também morreu, na madrugada de sábado (8), na avenida Escola Politécnica, no Butantã, zona Oeste de São Paulo.

publicidade

“O pequeno Samuel Victor nasceu no hospital Cruz Azul, e veio para acalmar o coração dos familiares nesse momento de dor. Seja bem-vindo, Samuel! Saiba que você é filho de um herói”, declarou a Polícia Militar do Estado de São Paulo, por meio das redes sociais.

A postagem recebeu centenas de comentários em homenagem ao soldado Victor. “Deus abençoe essa família e pequeno príncipe que chegou pra completar um pouco do vazio que foi destruído”, declarou um dos seguidores. “Que o pequeno Samuel tenha orgulho de seu pai, que foi um herói de farda protegendo a sociedade”, foi mais um comentário. “Notícia triste e alegre ao mesmo tempo…que Deus abençoe sua vida e da Mamãe! Força!”, declarou outra internauta.

publicidade

Os outros policiais militares mortos na ocorrência foram Celso Ferreira de Menezes Júnior, soldado de 33 anos, e o sargento José Valdir De Oliveira Júnior, 37, que deixou uma filha e a esposa grávida de gêmeos.

A Tenente Coronel Eunice Rosa Godinho, comandante do 14º Batalhão de Polícia Militar Metropolitano de São Paulo, em Osasco, publicou um texto em homenagem aos três PMs mortos. “Três bebês conhecerão seus pais por um porta-retrato e pelas estórias que lhes contarão. Em meio a estas estórias, saberão que eles foram heróis e que morreram defendendo o povo paulista”, declarou, na homenagem.

publicidade

“Eles foram, durante a execução do trabalho rotineiro, recolhidos por meio de uma ação covarde. Que nós, que continuaremos o legado de Oliveira Jr, de Victor e de Menezes, estufemos o peito de coragem e continuemos, orgulhosos da nossa missão, servindo e protegendo a sociedade paulista”, completou a comandante do 14º Batalhão da PM, em Osasco.

Comentários