Após aglomeração e filas em Osasco e região, Enel é autuada pelo Procon-SP e passa a atender com hora marcada

0
Aglomeração de clientes insatisfeitos em frente à agência da Enel no Centro de Osasco / Foto: Redes Sociais

Desde que a Enel retomou o atendimento presencial, que estava suspenso desde março devido à pandemia de covid-19, consumidores de Osasco, Cotia e região têm enfrentado filas, aglomeração e horas de espera na tentativa de solucionar um outro problema relacionado à empresa: o aumento no valor das faturas.

publicidade

Em Osasco, centenas de pessoas formaram filas gigantes no posto da Enel, que fica na rua Euclides da Cunha. Já os munícipes de Cotia também relataram uma espera fora do normal e filas em frente a agência da distribuidora de energia.

Após equipes do Proncon-SP constatar longas filas em várias agência, a Enel foi autuada na sexta-feira (7). Além da notificação por causar aglomeração e filas, e por má prestação de serviços, o órgão fiscalizador fechou um acordo com a distribuidora, que estabelece o parcelamento automático, em 12 vezes, dos débitos em aberto dos consumidores que registrarem reclamações contra a empresa no Procon.

publicidade

“Teremos um tempo maior para esclarecer as dúvidas e retificar o que estiver errado. A situação não poderia permanecer como estava. O consumidor precisa ser respeitado em seus direitos”, afirma o secretário de defesa do consumidor, Fernando Capez.

Já para os clientes que eventualmente necessitem ir às lojas, a companhia se comprometeu a oferecer, nos próximos dias, o atendimento com hora marcada. O cliente poderá agendar o horário pelo site ou por telefone para evitar filas e aglomerações. Outra medida anunciada pela companhia é que as lojas começaram a abrir aos sábados, com funcionamento das 8h30 às 16h30, de segunda a sábado.

publicidade

No acordo com o Procon-SP a Enel se comprometeu ainda a não efetuar o corte de energia dos consumidores que registrarem reclamação no órgão fiscalizador até o dia 31 de agosto, enquanto os valores cobrados estiverem em análise. “A medida foi adotada para que os clientes tenham mais tempo para negociar o parcelamento das contas em aberto com a distribuidora, após a retomada da leitura presencial dos medidores”, diz a empresa.

Cobranças abusivas

Em Cotia, os vereadores convocaram, na terça-feira (11), a Enel para prestar esclarecimentos sobre o aumento nas faturas dos munícipes. O pedido, de autoria do vereador Edson Silva (Republicanos), foi aprovado pela Câmara Municipal. Em Carapicuíba, o prefeito chegou a solicitar à empresa a revisão das faturas no início de julho.

Ainda no mês de julho, o Procon-SP registrou mais de 40 mil reclamações de cobrança indevida contra a empresa de energia elétrica, que foi multada pelo órgão fiscalizador em mais de R$ 10 milhões por má prestação de serviço e prática abusiva. Antes de aplicar a multa, o Procon chegou a realizar uma força-tarefa com diversos especialistas para analisar as faturas.

Moradores de Osasco e Carapicuíba reclamam de aumentos abusivos na conta de luz
Foto: reprodução

A aglomeração e as filas formadas por consumidores levaram o Procon-SP a acionar também o Ministério Público de São Paulo, que acompanha o caso e abriu um inquérito civil para apurar as reclamações das supostas práticas abusivas praticadas pela empresa.

Retorno da leitura presencial

A Enel retomou gradualmente em junho a leitura presencial dos medidores de energia. No fim de março, a companhia implementou a leitura pela média do consumo, autorizada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Segundo a empresa, a diferença maior ou menor, entre o valor faturado pela média nos últimos meses e o real consumo de energia no período está sendo lançada nas contas de energia emitidas após a retomada da leitura.

Como reclamar

O consumidor que tiver dúvidas ou problemas relacionados às suas contas de energia elétrica e não conseguiu um retorno satisfatório da empresa, pode procurar pelo ProconSP, que disponibiliza canais de atendimentos à distância no site, aplicativo – disponível para Android e iOS – ou via redes sociais (@proconsp).

Comentários