Lins e Lapas fazem debate com acusações e propostas

Eleitor pode ouvir propostas dos candidatos Rogério Lins (PTN) e Jorge Lapas (PDT) e se informar melhor para votar neste domingo, 30

0
Lins e Lapas fazem debate com acusações e propostas

O debate do Portal G1, na tarde desta sexta-feira, 28, teve momentos de troca de acusações, mas na maior parte do tempo o eleitor pode ouvir propostas dos candidatos Rogério Lins (PTN) e Jorge Lapas (PDT) e se informar melhor para votar neste domingo, 30.

publicidade

O clima esquentou quando Lapas questionou seu adversário sobre a investigação que o Ministério Público promove na Câmara Municipal, que envolveu apreensão de documentos nos gabinetes. O prefeito acusou Lins de ter 12 funcionários fantasmas e, numa ação articulada com a equipe de campanha, publicou simultaneamente em sua página no Facebook documentos sobre a investigação do MP. O vereador se defendeu: “a Câmara foi investigada pelo MP e no meu gabinete não foi encontrado nada que desabonasse minha conduta”, disse.

O candidato do PTN contra-atacou com supostas investigações contra a prefeitura. Lapas disse que pode haver algum processo contra a prefeitura, mas que ele não é investigado. “Não tenho um processo em 30 anos de vida pública”, afirmou.

publicidade

Lapas também questionou Lins por diversas vezes ao longo do debate, sobre ter feito parte de sua base aliada na Câmara. “Em 46 meses de administração, em 40 ficou me elogiando, dando tapa nas costas e falando bem do governo”, repetiu o candidato à reeleição.

Veja também outras discussões, por tema.

publicidade

Transporte

Rogério Lins acusou Lapas de não ter cumprido promessa de implantar o bilhete único em Osasco. O prefeito disse que preferiu aumentar o subsídio para baixar a tarifa de ônibus. “O povo de Osasco quer bilhete único e eu não tenho rabo preso com empresas de ônibus”, disse Lins. Lapas respondeu: “fui o único prefeito que abaixou a tarifa”.

Educação

Lins atribuiu o aumento no Ideb, índice que mede a qualidade da educação, aos “professores que trabalham por amor”, e disse que Osasco perde muitos desses profissionais devido a baixos salários. Ao defender a administração, Lapas citou aliados do adversário. “Esse retrovisor que você olha tem Giglio, o [Francisco] Rossi, que perseguiu e demitiu diretores que protestavam contra ele. Você sabe que melhorou, porque foi da minha base [na Câmara]. De 46 meses, por 40 me apoiou e falou que era um bom governo. Por que mudou agora?”, questionou.

Comentários