Saddam, suspeito de matar casal em Carapicuíba, é preso

0
saddam casal carapicuíba
Saddam (à esquerda) é acusado de ter matado Jaime e Letícia

A polícia prendeu Saddam, um homem suspeito de assassinar um casal em Carapicuíba. Ele foi detido na semana passada, na madrugada de sexta-feira (2), após sair de uma balada em Itanhaém, no litoral paulista.

publicidade

Saddam se chama Pedro Paulo Menezes Barbosa, de 32 anos. Ele é acusado de ter matado Jaime Aprigio da Silva Junior, 35, e, cerca de 15 dias depois, a ex-mulher dele, Letícia Mattos de Souza, 24, como forma de queima de arquivo.

Jaime foi executado a tiros na madrugada de 29 de junho, quando abria um carro estacionado na rua Areado, na Cohab 5, em Carapicuíba. Durante as investigações, Letícia, que estava separada de Jaime há cerca de 3 meses, revelou à polícia que ele esteve com Saddam momentos antes do crime. Os dois teriam ido a uma casa de prostituição. A mulher ainda teria relatado que suspeitava de Saddam a outros criminosos da região.

publicidade

Em áudios enviados à Letícia e divulgados pela Record TV, o suspeito disse: “Você foi lá, procurou os irmãos lá, os irmãos chegaram aqui em mim, estão apurando as ideias junto comigo. Você entendeu, mano?”.

Leia também: Homem dispara 14 tiros em ex-amigo após briga entre famílias em Carapicuíba

Duas semanas após a morte de Jaime, Letícia também foi assassinada, no dia 13 de julho. Ela participava de uma festa em Carapicuíba, quando dois homens entraram no local e a executaram perto da piscina. Um dos atiradores seria Saddam.

publicidade

Enquanto a mulher foi morta por suposta queima de arquivo, a polícia investiga a motivação para o assassinato do ex-marido dela.

Os policiais chegaram ao acusado por meio de uma denúncia anônima. No momento em que foi preso, ele não portava documentos e se identificou com nome falso aos policiais.

Saddam está em prisão temporária de 30 dias, que pode ser prorrogada uma vez, por igual período, durante as investigações e, em caso de novas provas contra ele, será pedida a prisão preventiva, sem prazo definido. O caso é investigado pelo 3º DP de Carapicuíba.

Comentários