Dr. Lindoso contesta derrota na disputa pela Prefeitura de Osasco: “teve fraude, tem coisa errada”

0
dr. lindoso osasco
Dr. Lindoso durante live na qual questionou o resultado das eleições em Osasco, na noite desta sexta (27) / Foto: reprodução

Candidato derrotado na disputa pela Prefeitura de Osasco nas eleições municipais do último dia 15, Dr. Lindoso (Republicanos) contesta o resultado do pleito. “Teve fraude, tem coisa errada”, afirmou o candidato, em live via redes sociais na noite desta sexta-feira (27).

publicidade

Dr. Lindoso ficou em segundo lugar na disputa pela Prefeitura de Osasco, com 19,86% dos votos, contra 60,94% de Rogério Lins (Podemos), que foi reeleito no primeiro turno.

Um dos motivos citados para a contestação do candidato foi a demora na divulgação das parciais da apuração que, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), foi causada por uma falha técnica que não comprometeu o processo eleitoral.

publicidade

“Nunca houve um apagão tão estranho como aconteceu esse ano”, declarou Dr. Lindoso. Além disso, afirmou o candidato, “você vê vários problemas de pessoas que vão votar e já tinham votado no lugar dela, várias máquinas que deram problema”. Ele defendeu o voto impresso. “Sou a favor do voto impresso. Vamos entrar com ação, vamos questionar”.

Candidatos a vereador que apoiaram Dr. Lindoso também protestaram acusando suposta fraude nas urnas. O vereador Tinha Di Ferreira (Republicanos), que viu sua votação baixar quase 60% e não conseguiu se reeleger, faz um abaixo-assinado por novas eleições. Odilon Neto (Republicanos), que teve 515 votos, realizou uma manifestação em carro de som por ruas da região central de Osasco para acusar manipulação no pleito.

publicidade

Em Barueri, Julio Leal (PMN), candidato a prefeito que teve 2,09% dos votos válidos, é mais um dos que não se elegeram na região a contestar o resultado das eleições municipais e falar em fraude.

O presidente do TSE, Luiz Roberto Barroso, garante que nas eleições “não houve nenhum tipo de comprometimento para a fidedignidade do voto, para a fidelidade da manifestação da vontade popular”.

Comentários