Embates entre Lapas e Lins marcam debate do Portal G1

0

debateg1
Cinco dos oito candidatos à prefeitura de Osasco participaram do debate nesta quarta-feira

publicidade

Cinco dos candidatos à prefeitura de Osasco ficaram na quarta-feira, 28, frente a frente pela primeira vez nesta campanha. O debate do portal G1, da Rede Globo, foi marcado principalmente por embates entre o prefeito e candidato à reeleição Jorge Lapas (PDT) e o vereador Rogério Lins (PTN).

O terceiro bloco foi o mais quente, pois teve pergunta de candidato para candidato. Lins questionou Lapas sobre a situação da saúde no município e o prefeito emendou. “Rogério, você ficou 8 anos na Câmara e não apresentou nenhum projeto significativo pra cidade, acho lamentável. Sua atuação como vereador foi bem abaixo da média”, disparou. O candidato do PTN respondeu dizendo que foi reeleito vereador “com uma das maiores votações da história da cidade e o candidato a deputado federal mais votado na última eleição”.

publicidade

Outro momento de embate entre os dois foi quando Lapas criticou duramente declaração que Lins deu em entrevista ao mesmo portal G1, no início da semana, quando disse que, se eleito, vai “fechar a cidade pra balanço”, numa referência à revisão dos contratos da prefeitura com prestadores de serviço. Lapas disse que a proposta é absurda. “Não é uma quitanda, um supermercado. A cidade tem que funcionar normalmente, não pode parar pra balanço. Isso é uma ideia de quem nunca administrou nada, nunca foi nada na vida, só foi vereador e teve uma atuação bastante medíocre”, afirmou o prefeito.

A declaração fez com que o adversário ganhasse um direito de resposta. Rogério Lins, então, voltou a lembrar que foi um dos vereadores mais votados e defendeu sua atuação no Legislativo. “Apresentei 47 projetos de lei. Experiência não quer dizer competência”, disse.

publicidade

O candidato do PTN também foi atacado por Claudio Piteri (PPS), que questionou a participação de Lins nos governos do PT na cidade e o suposto envolvimento de petistas em sua campanha. “O seu coordenador de campanha é braço direito do ex-deputado João Paulo Cunha. A sua advogada é advogada do diretório nacional do PT”, disse Piteri. Lins disse que votou projetos contra e a favor da administração na Câmara e que não precisa explicar relação com o PT, pois o partido tem candidato próprio, o deputado Valmir Prascidelli. “Sou da base aliada do povo”, afirmou.

Temas

giglioxprascidelli
Celso Giglio (PSDB) e Valmir Prascidelli (PT) frente a frente

Saúde foi o tema mais debatido entre os candidatos. Valmir Prascidelli (PT) disse que a área “está na UTI” e “um verdadeiro caos”. “Falta médico, falta remédio na unidade de saúde e nas UPAs. Essa é a questão mais grave. Não podemos mais permitir que alguém fique dois anos na fila pra passar por um especialista, um ano pra fazer um exame”, disse.

Claudio Piteri afirmou que a população de Osasco vai buscar atendimento em São Paulo, Barueri e até Carapicuíba, o que foi refutado por Jorge Lapas. “Osasco recebe [pacientes] de Carapicuíba, Jandira, Itapevi, toda uma demanda e a gente tem atendido. Na UPA do Centro metade dos atendimentos são de pessoas da região, que não encontram esse serviço [em suas cidades]”, disse o candidato à reeleição.

Celso Giglio (PSDB) disse que pretende implantar o ensino em tempo integral nas escolas e que ainda não é o momento de municipalizar o ensino fundamental II, como quer Rogério Lins. “Temos que melhorar bastante ainda o fundamental I”, disse o tucano.

Os candidatos Solange Pall (PSOL), Marcos Arruda (Rede) e Osvaldo Vergínio (PEN) não participaram porque seus partidos têm menos de 10 deputados federais. De acordo com a nova legislação eleitoral, as emissoras não são obrigadas a convidar candidatos dessas legendas. O debate completo pode ser assistido pelo link http://g1.globo.com/sao-paulo/eleicoes/2016/entrevista-debate-votacao/osasco.html.

Comentários