Bruno Sindona: É hora de abandonar a lógica do “menos pior”

Bruno Sindona: É hora de abandonar a lógica do “menos pior”

4
Compartilhar
Bruno Sindona é CEO da Sindona Incorporadora
Bruno Sindona é CEO da Sindona Incorporadora

Até quando o brasileiro terá de escolher, dentre as soluções, a “menos pior”? Vivemos em um país cheio de desafios e necessidades, muitas delas bem básicas.

Publicidade

Constantemente nos deparamos com o dilema do menos pior. A solução menos pior, o governante menos pior, a situação menos pior. Entre correr o risco de ser assaltado e deixar sair de casa a noite, optamos por não nos arriscar, ao invés de resolver a criminalidade.

Quando poderíamos debater e planejar a nova legislação trabalhista, optamos pela solução menos pior que é sanar a sangria da crise, sem tempo para debater o longo prazo.

Nas eleições é cada vez são mais raros os eleitores engajados com um projeto político e de verdade animados com o futuro governante. Apenas escolhem aquele candidato que não lhes parece tão ruim. Ou para escolher um simples prestador de serviços, um mecânico, um médico, um técnico de maquinas de lavar que seja, escolhemos o menos pior. Conscientemente já sabemos que não seremos atendidos por completo, que teremos problemas e frustrações e nos conformamos.

Dia após dia, estamos tomando este tipo de decisão. Precisamos começar a optar pelo melhor, pela solução completa, por um país por inteiro. Precisamos buscar o ideal, o excelente não pelo regular ou mediano.

Publicidade

O importante não é competir, o importante é evoluir. Nos últimos anos involuímos todos nós. Agora devemos buscar a excelência em todos os aspectos de nossas vidas – obviamente não alcançaremos de imediato – mas nem por isso temos de deixar de buscar. O Brasil é um projeto de longo prazo; não se frustem por vocês, tenham paciência e pensem nos seus filhos.

Bruno Sindona é CEO da Sindona Incorporadora

Compartilhar

Comentários