Jovem pula de carro em movimento para fugir de assédio de motorista de app em Barueri

“Se eu não tivesse pulado do carro, eu poderia estar morta essas horas. Ele ia fazer alguma coisa comigo, ele mudou o caminho, ele tinha me assediado o caminho todo", relata a vítima

0
assédio motorista de app Barueri
A vítima, uma jovem de 15 anos, está com machucados nos braços, ombros, costas e mão, após ter se jogado do veículo / Foto: Reprodução/Record TV

Uma jovem de 15 anos acusa um motorista de aplicativo de assédio sexual em Barueri. Com machucados nos braços, ombros, costas e mãos, a vítima pulou pela janela do veículo, que estava em alta velocidade, quando o condutor mudou a rota da viagem e trancou as portas do carro.

publicidade

O caso aconteceu por volta das 0h do dia 25 para o dia 26 de dezembro. A vítima passou o Natal na casa de uma amiga e pediu um carro por aplicativo para ir para casa. À reportagem da Record TV, a jovem relatou que o motorista passou a assediá-la e teria tentado colocar a mão em sua perna. “Ele ficava me perguntando se eu tinha namorado, me chamava de ‘coração’ e pediu pra eu ir para o banco da frente”.

Minutos depois, a vítima percebeu que o motorista havia mudado a rota da viagem e alertou sobre o erro. Ela conta ainda que ele perguntou se ela acreditava em Deus, aumentou a velocidade do veículo e trancou todas as portas.

publicidade

“Quando ele fez isso, eu pulei para o banco da frente e comecei a gritar por socorro porque só a janela da frente estava aberta. Ele tentou puxar a minha perna, mas eu estava com o corpo para fora”, disse. “Eu não sei como eu fiz, eu subi em cima do carro e fiquei me segurando naquela antena, com o carro em movimento. Quando eu estava com o corpo para fora, ele acelerava”, continuou.

A jovem afirma que decidiu pular do veículo quando passava próximo à uma rotatória. Três rapazes viram a jovem no chão e correram para ajudá-la. Eles tentaram alcançar o carro, mas não conseguiram. “Se eu não tivesse pulado do carro, eu poderia estar morta essas horas. Ele ia fazer alguma coisa comigo, ele mudou o caminho, ele tinha me assediado o caminho todo. Então, o que ele poderia fazer?”.

publicidade

De acordo com a reportagem da Record TV, o percurso inicial era de seis minutos e custaria R$ 22,50, mas a viagem foi finalizada há quase 20 minutos depois e o preço final foi de R$ 188. Como a forma de pagamento era dinheiro, o motorista não recebeu.

O caso foi parar nas redes sociais. A jovem decidiu compartilhar o ocorrido para alertar outras jovens e mulheres da região. “Comigo ele não conseguiu fazer nada. Mas e depois? E se ele faz isso com outra pessoa?”.

Entre centenas de comentários, um deles chamou a atenção: uma mulher saiu em defesa do motorista e acusou a jovem de tentar assaltar o condutor do veículo. “Gente é mentira… Ela que tentou assaltar ele agora está querendo difamar ele, não caiam nessa. Vocês estão acabando com a vida de uma pessoa honesta”.

A vítima registrou um boletim de ocorrência e o caso será investigado pela Polícia Civil de Barueri. Já a empresa de aplicativo de transporte ofereceu apoio à passageira e disse que tomará as providências com relação ao ocorrido.

Comentários