Início Cidades PDT Osasco traça estratégias para aumentar representatividade em 2022

PDT Osasco traça estratégias para aumentar representatividade em 2022

0
MiltonCavalo
Milton Cavalo comenta as estratégias do PDT para as eleições 2022 (Foto: Reprodução Facebook)

O PDT (Partido Democrático Trabalhista) Osasco já traçou sua rota rumo às urnas em 2022. O partido começou a mexer as peças para se fortalecer na região e a estratégia passa por eleger um representante da cidade para o Congresso Nacional.

publicidade

“São Paulo é um estado fundamental para qualquer pretensão política a nível nacional. E nós precisamos ter candidaturas fortes para o parlamento para que possamos ter uma representação eficaz. Osasco e região são uma área muito importante e nós precisamos tê-la representada no Congresso Nacional”, afirma Milton Cavalo, que foi presidente do PDT Osasco, é presidente do PDT Cotia e faz parte da Executiva Estadual do partido, em entrevista ao Visão Oeste.

De acordo com Cavalo, que é um dos principais articuladores políticos da sigla na região, já que também faz parte do Sindicato dos Aposentados e representa o movimento sindical dentro do partido, a ideia de ter um representante no Congresso não é nova nem de improviso. “Já há algum tempo temos decidido que nós teríamos em Osasco uma candidatura a deputado federal, que no caso é a companheira Mônica Veloso, que é a nossa pré-candidata. Em abril ela vai se descompatibilizar [da Secretaria Para Mulheres e Promoção da Diversidade de Osasco) e nós vamos apoiá-la aqui na região para deputada federal”, informa, acrescentando que o partido também terá candidatos próprios para a Assembleia Legislativa.

publicidade

Mônica Veloso, que acumula experiência da atuação no meio sindical e está participando da administração Rogério Lins (Podemos) desde 2016, deve contar com o apoio de todo setor metalúrgico do Estado para tentar repetir o feito de 2002, quando os metalúrgicos e a comunidade de Osasco conseguiram eleger Claudio Magrão para o Congresso Nacional.

“Será da mesma forma que fizemos com o Magrão, que foi algo discutido, conversado com o setor metalúrgico e sindical da região, além da comunidade. Além de ser mulher, negra, presidente do PDT Osasco, Secretária do Trabalho na gestão Lapas, a Mônica é uma pessoa competente, que preenche os requisitos de uma boa escolha de candidatura, e também porque conta com apoio da direção municipal, dos diretórios do PDT da região. É algo que está sendo construído já há algum tempo”, conta.

publicidade

Segundo Cavalo, além da pauta trabalhista, outros temas importantes terão destaque nas propostas de campanha da pré-candidata. “São temas que ela vai defender e já defendeu como a questão da erradicação do trabalho infantil, como foi no projeto Eremim que tivemos lá no bairro do Rochdale junto com o Sindicato; a questão do feminicídio; as questões das mulheres. Tudo isso vai fazer parte do programa de atuação dela como deputada federal, além também da questão do desenvolvimento local, geração de emprego, entre outras”, afirma.

Cavalo enfatiza que o PDT sempre participou de grandes pleitos, em todos os níveis, seja nacional, estadual ou municipal, e que depois de ter Brizola, João Goulart e Darcy Ribeiro como expoentes de representatividade, nesse ano, o partido está empenhado na disputa nacional para 2022. O PDT tem como pré-candidato a presidência Ciro Gomes, um dos primeiros a colocar seu nome na disputa. “É por causa desse perfil, de termos grandes representantes, que escolhemos uma candidata forte e temos trabalhado com bastante afinco a questão da candidatura dela”, avalia.

Comentários