Prefeito de Osasco cobra agilidade do estado na construção do terminal do Km 21

0
publicação da licitação da obra era prevista para fevereiro e não foi feita", disse prefeito / Foto: Ivan Cruz /SECOM/PMO

publicação da licitação da obra era prevista para fevereiro e não foi feita", disse prefeito / Foto: Ivan Cruz /SECOM/PMO
publicação da licitação da obra era prevista para fevereiro e não foi feita”, disse prefeito / Foto: Ivan Cruz /SECOM/PMO

publicidade

Em encontro com representantes da EMTU na sede da companhia estadual, em São Paulo, nesta segunda-feira, 10, o prefeito de Osasco, Jorge Lapas (PT), cobrou mais agilidade do governo do estado na construção do terminal do Km 21.

“A publicação da licitação da obra era prevista para fevereiro e não foi feita, precisamos saber como está o andamento”, disse o prefeito.

publicidade

O terminal do Km 21 atenderá os sistemas de transportes coletivos de Osasco e Carapicuíba, além das linhas intermunicipais que atendem toda a região.

“O terminal irá rearticular o sistema de transporte coletivo de Osasco, abrindo possibilidades para novas linhas de ônibus entre esse terminal e a zona Norte da cidade. Podemos levar diretamente para esse terminal, linhas dos bairros Padroeira, Veloso, Santo Antônio, Conceição e de toda essa região, que seria articulada com o sistema ferroviário”, explicou Lapas. O terminal ficará próximo à estação General Miguel Costa da CPTM.

publicidade

O presidente da EMTU, Joaquim Lopes, garantiu ao prefeito Jorge Lapas que a documentação para licitação das obras está concluída e será publicada ainda no mês de março.

A construção do terminal de ônibus do Km 21 está inserida no projeto do Corredor Oeste, que ligará a cidade de Itapevi a São Paulo, no bairro do Butantã, passando por Jandira, Barueri, Carapicuíba e Osasco.

Executado pelo governo do estado, o pacote de obras que compõe o terminal terá recursos do Governo Federal, por meio do PAC Mobilidade.

Projetos de VLT e nova avenida em Quitaúna

Ainda na sede da EMTU, o prefeito apresentou para o presidente da companhia, Joaquim Lopes, dois projetos de mobilidade urbana: a implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) no transporte público com percurso inicial entre o terminal do Km 21 e a rodovia Raposo Tavares e uma nova avenida em Quitaúna.

A via ligaria o bairro à avenida Nações Unidas, passando pela região do Bonfim, local onde está em construção o futuro prédio do Paço Municipal. Segundo Lapas, seria feita uma alça de acesso (viaduto) a partir da avenida dos Autonomistas, criando uma nova rota para os motoristas que seguem no sentido às marginais Tietê e Pinheiros.

Comentários