Professora da rede estadual de SP que negou estupro e disse que menina de 10 anos teria sido “bem paga” pelo tio é demitida

0
professora menina de dez anos estuprada (1)
Fotos: reprodução

Eliana Nuci de Oliveira, professora de educação básica da rede estadual de educação de São Paulo, foi demitida após postar nas redes sociais mensagens nas quais afirma que a menina de dez anos que fez um aborto após engravidar em estupro cometido pelo tio, de 33 anos, não foi vítima de violência.

publicidade

A garota teria sido vítima dos abusos desde os seis anos, no Espírito Santo. Em uma das mensagens, a docente declara: “Ela já tinha vida sexual há quatro anos com esse homem. Deve ter sido bem paga”. Em outra, ela diz que “crianças se defendem chorando pra mãe, esta menina nunca chorou por quê?”.

Leia também: Evangélico, presidente da Câmara de Osasco critica protesto contra aborto de menina de 10 anos estuprada

publicidade

O secretário de Estado da Educação, Rossielli Soares da Silva, declarou, segundo a “Folha de S. Paulo”: “[Ela foi] demitida imediatamente para não estar próxima de nossas crianças e jovens. É um absurdo uma profissional que deve ser educadora e defensora da infância afirmar que não é uma violência. Repúdio total a qualquer um que defenda um absurdo”.

A professora lecionava na educação básica da E.E. Prof. Frederico de Barros Brotero,em Guarulhos.

publicidade

Na delegacia, o tio da menina admitiu ter abusado dela: “Ele disse que tinha um ‘relacionamento’ com a menina, mas isso não justifica, porque ela é menor e não tem nenhuma capacidade de entender o que estava acontecendo”, disse o delegado-chefe da Polícia Civil do Espírito Santo, José Darcy Arruda, em entrevista coletiva sobre o caso.

Comentários