Comerciante de Itapevi e Jandira morre com suspeita de coronavírus e é enterrada sem velório

0
comerciante itapevi coronavírus
Eiko Matsumoto, dona dos restaurantes Eiko Yakissoba, morreu aos 72 anos, com suspeita de coronavírus / Foto: reprodução/Google

A comerciante Eiko Matsumoto, fundadora e proprietária dos restaurantes Eiko Yakissoba, com unidades nas cidades de Itapevi e Jandira, morreu na manhã desta quarta-feira (25), e a família suspeita que ela tenha sido mais uma vítima do novo coronavírus (covid-19).

Eiko morreu em São Paulo. De acordo com a família, ela foi levada a um Pronto Socorro em Barueri na tarde de segunda-feira (23), após ter tosse seca e falta de ar. À noite, ela foi transferida para o hospital Salvalus, no bairro da Mooca, em São Paulo, onde morreu na manhã de hoje.

De acordo com parentes, a comerciante nunca havia tido problemas respiratórios, mas era considerada paciente de risco ao coronavírus por ser hipertensa e diabética, além de ter mais de 60 anos.

Publicidade

A família de Eiko faz um apelo para que as pessoas reforcem o cuidado contra o novo coronavírus: “Peço a todos para se cuidarem e ficarem em casa. Não abusem. Fiquem resguardados, lavem muito as mãos e usem álcool em gel sempre”, postou Michelly, uma das filhas de Eiko, nas redes sociais.

Sem velório, para evitar o risco de disseminação do coronavírus, o corpo de Eiko será enterrado no Cemitério Municipal de Barueri. Ela deixa marido, duas filhas e quatro netos.

Segundo a Prefeitura de Itapevi, a cidade registra, até esta quarta (25), um total de 65 casos suspeitos de coronavírus notificados em investigação e com isolamento domiciliar e três mortes com suspeita da doença. (Com informações do jornal “Itapevi Agora”)

Comentários