Rapaz que marcou encontro com Kátia, jovem que foi encontrada morta em Osasco, é preso

Ele é apontado pela polícia como o principal suspeito do crime

0
jovem de osasco desaparecida
Katia Vieira, de 17 anos, estava desaparecida há dez dias e foi encontrada morta / Foto: Reprodução/Redes Sociais

O rapaz de 21 anos que havia marcado um encontro com Kátia Vieira, 17, no Jardim Piratininga, em Osasco, foi preso temporariamente. Ele é apontado pela polícia como o principal suspeito de envolvimento na morte da jovem.

publicidade

O corpo de Kátia foi encontrado em estado avançado de decomposição no Parque da Bicicleta, em 30 de dezembro, dez dias após o seu desaparecimento. Kátia foi vista com vida pela última vez, por volta de 1h do dia 19 de dezembro, quando saiu de casa para encontrar com o rapaz que havia conhecido pela internet.

De acordo com reportagem do “Cidade Alerta”, da Record TV, o rapaz teria marcado o encontro com Kátia na casa dele, no Jardim Piratininga, mas mudou de ideia e falou para a jovem que estava em uma festa na casa de um amigo, no Jardim Rochdale. Para ir até o local, Kátia teria finalizado a viagem pelo aplicativo de transporte, desceu do veículo e atravessou uma ponte que dá acesso ao Parque da Bicicleta.

publicidade

A família da vítima conseguiu entrar em contato com o rapaz, mas afirma que ele negou ter se encontrado com a jovem. “Nós queremos justiça. Ele fala que marcou com ela para descer no Piratininga. A todo momento ele mente que não se encontrou com ela. Ele apagou do celular as conversas que teve com ela pra se defender”, acusa o pai de Kátia.

“Quem fez não está sentindo a dor, mas eu, como mãe, estou sentindo muito. Uma dor e uma revolta muito grande. Eu não pude nem ver a minha filha. Eu queria ver, mas não me deixaram ver porque ela estava já em uma situação muito difícil”, lamentou a mãe da vítima.

publicidade

Ainda de acordo com a reportagem, o rapaz teve a prisão temporária decretada e foi detido no dia 5 de janeiro, na casa de uma tia, em Cotia. Ele deve permanecer preso durante o andamento das investigações. Caso surjam novas provas contra ele, a prisão poderá ser convertida para preventiva.

O laudo do Instituto Médico Legal (IML) que apontará a causa da morte de Kátia ainda não saiu. A vítima teve dinheiro e objetos roubados. Os documentos e o celular dela ainda não foram localizados pela polícia.

 

Comentários