Início Cidades “Sonho antigo que se torna realidade a partir de hoje”, diz governador...

“Sonho antigo que se torna realidade a partir de hoje”, diz governador sobre novo acesso de Osasco à Castello

0
Rodrigo Gracia
Foto: Soraia Sene

O prefeito de Osasco, Rogério Lins (Podemos), recebeu o governador Rodrigo Garcia, nesta quarta-feira (20), na Praça Laurindo de Camargo, em Presidente Altino, para dar início às obras do novo acesso da cidade à Rodovia Castello Branco.

publicidade

O novo acesso será uma ponte suspensa sobre o Rio Tietê que permitirá acesso à Rodovia Castello Branco e também acesso para quem vem da Rodovia para entrar na cidade. A nova alça será um acesso adicional da Castello Branco que visa desafogar o acesso atual, à esquerda, que sofre com os congestionamentos, principalmente no final da tarde.

A obra, orçada em R$ 232 milhões, será feita com os recursos do contrato com a concessionária CCR ViaOeste em um prazo estimado pelo governo de 23 meses.

publicidade

De acordo com o governador, serão empregados na obra os mais modernos recursos de engenharia e a rodovia não será interrompida durante os trabalhos.

“A nova entrada de Osasco vai proporcionar uma melhor fluidez do tráfego, beneficiando não só a população que acessa esse grande município, mas também aqueles que vão para o interior pela rodovia Castello Branco. É uma obra que emprega o que tem de mais moderno na engenharia, um sonho antigo que se torna realidade a partir de hoje”, afirmou o governador.

publicidade

A contrapartida da Prefeitura de Osasco, segundo Garcia, será executar obras complementares na cidade para a nova composição do tráfego que se dará quando a nova entrada da cidade estiver pronta.

“Viemos aqui hoje tornar um sonho realidade e em breve vou voltar para anunciar a extensão das marginais, para entregar o hospital municipal [em Barueri]”, prometeu o governador, enfatizando a união das cidades da região oeste. “São cidades que sabem demandar”, disse.

Em seu discurso, o prefeito Rogério Lins destacou que o novo acesso é uma conquista não só de Osasco, mas de toda região, visto que a região sedia várias empresas importantes e é grande empregadora local. “Essa não é uma conquista de Osasco. É uma conquista regional. Agradeço muito ao novo governador, que assumiu no dia 1º e 19 dias depois está aqui para dar início à principal obra de mobilidade da nossa cidade”, ressaltou Lins.

Além de Lins, estiveram presentes os prefeitos de Carapicuíba, Marcos Neves (PSDB); de Itapevi, Igor Soares (Pode); de Vargem Grande Paulista, Josué Ramos (PL); de São Roque, Marcos Augusto Issa, o Guto Issa (Pode); as deputadas federais Bruna Furlan (PSDB) e Renata Abreu (Pode), além do deputado federal Alexandre Frota (PSDB); os deputados estaduais Delegado Bruno Lima (PP) e Ataide Teruel (Pode), entre outras autoridades.

A obra

O projeto executivo prevê intervenções no Km 15+800 para a construção de nova ponte sobre o Rio Tietê, que ligará a rodovia à Avenida Fuad Auada a partir da via Marginal Oeste – no sentido interior. O acesso a Osasco já existente também será mantido.

As intervenções da concessionária incluem também melhorias para alargamento da pista Marginal Oeste da rodovia Castello Branco, a partir do viaduto que passa sobre a avenida Presidente Kennedy. As estruturas também ganham novos elementos de segurança, como defensas metálicas e barreiras rígidas.

A sinalização horizontal também será totalmente refeita, com pintura de faixas e implantação de tachões refletivos. As obras de implantação do novo acesso a Osasco não estavam contempladas no contrato de concessão da CCR ViaOeste, mas foram adicionadas por meio de um acordo definitivo entre a CCR e o Governo do Estado de São Paulo, assinado no último dia 31 de março.

“As obras iniciadas hoje fazem parte de um conjunto de investimentos em infraestrutura viária na região Oeste da Grande São Paulo, que têm como objetivo aumentar a capacidade de tráfego e as condições de segurança para os motoristas que utilizam o trecho diariamente”, disse Milton Persoli, diretor-geral da Artesp.

Serão gerados, a partir das intervenções, mais de 6 mil postos de trabalhos diretos e indiretos.

Comentários