Após resultado das urnas, debate se intensifica na Câmara de Osasco

1
Os vereadores André Sacco (PSDB) e Mazé Favarão (PT) debateram eleição presidencial / Foto: Eduardo Metroviche

Os vereadores André Sacco (PSDB) e Mazé Favarão (PT) debateram eleição presidencial / Foto: Eduardo Metroviche
Os vereadores André Sacco (PSDB) e Mazé Favarão (PT) debateram eleição presidencial / Foto: Eduardo Metroviche

publicidade

Nesta semana, na Câmara Municipal de Osasco, vereadores petistas e tucanos falaram sobre o resultado da eleição presidencial. Ao apresentar uma moção de congratulações à presidente Dilma Rousseff pela reeleição, a parlamentar Maria José Favarão (PT) criticou a postura da imprensa na cobertura da campanha eleitoral e citou o caso da revista Veja, que adiantou sua edição para sexta-feira passada para, segundo a vereadora, influenciar a decisão do eleitor com denúncias sem prova. Ela defendeu a realização de uma reforma política por meio de uma Assembleia Constituinte exclusiva para o tema, “pois elegemos o Congresso mais conservador da história”, disse.

A presidente, em suas primeiras entrevistas após a reeleição, também citou a reforma política como prioridade. “Entre as reformas, a primeira e mais importante deve ser a reforma política. Deflagrar essa reforma, que é de responsabilidade do Congresso, deve mobilizar a sociedade por meio de um plebiscito, de uma consulta popular. Somente com um plebiscito nós vamos encontrar a força e a legitimidade para levar adiante este tema”, disse. Parte do Congresso, no entanto, pressiona para que ocorra um referendo, onde a população só diria sim ou não para um projeto já aprovado pelos deputados e senadores.

publicidade

Já o vereador André Sacco (PSDB) disse que a vitória de Aécio Neves em Osasco aconteceu por “fadiga de material do PT em São Paulo”. “A população saiu às ruas pedindo mudanças e a tese que o Aécio trouxe são propostas de mudanças mais concretas, mais transparentes, de melhoria dos índices econômicos, na empregabilidade, na responsabilidade fiscal”, disse.
O tucano afirmou também que a falta de água em Osasco não prejudicou a campanha do PSDB porque o governador Geraldo Alckmin teria uma “palavra de ordem técnica muito segura”. “Quando o governador diz que não haverá racionamento, que não faltará água eu acredito, porque ele tem um rol de técnicos que assessoram o governo e a Sabesp. Está faltando pontualmente em alguns locais, mas em 95% dos locais tem água”, disse o vereador.

publicidade
Comentários

1 COMENTÁRIO

  1. Não há vereador maia corrupto e canalha, mentiroso e sem caráter que o André Pé no Saco. Lixo dos lixos. Vergonha de quem dá votos para um traste deste!

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAdvogado nega depoimento e expõe armação de Veja
Próximo artigoVisão Atenta