AVC aumenta entre os jovens

0
Atenção constante à pressão arterial ajuda a diminuir o risco de derrames / Foto: Elza Fiuza/ABr

Atenção constante à pressão arterial ajuda a diminuir o risco de derrames / Foto: Elza Fiuza/ABr
Atenção constante à pressão arterial ajuda a diminuir o risco de derrames / Foto: Elza Fiuza/ABr

publicidade

Um estudo da Universidade Federal da Bahia revela que 7,5% dos casos de Acidente Vascular Cerebral (AVC) acontecem em pessoas de até 45 anos. A doença é conhecida por ser mais comum nos idosos, mas nas últimas duas décadas os casos entre jovens aumentaram 25%.

Sedentarismo e má alimentação estão entre as causas

O especialista em fisioterapia neurológica Rodrigo Peres explica que os dados têm a ver com maiores índices de sedentarismo, tabagismo, obesidade, alimentação com altos teores de gordura e sal, estresse e diabetes. “É importante que os jovens tenham consciência de que adotar hábitos saudáveis pode evitar tais problemas que muitas vezes acreditam estar livres por anos”.

publicidade

Segundo ele, “hoje em dia não existe mais problemas de jovens, adultos ou terceira idade, muitas patologias afetam qualquer um a partir do modo que vive”.
O AVC está entre as principais causas de morte mundiais, além de poder incapacitar a pessoa para a realização de diversas atividades cotidianas, tornando necessários os tratamentos de reabilitação física.
Um dos principais agravantes nas sequelas é o tempo entre o início do AVC e o recebimento de tratamento. “Para que o risco de sequelas seja significativamente reduzido, o correto é que a vítima seja levada imediatamente ao hospital”, explica Peres.

Conhecido como “derrame”, o AVC ocorre quando há entupimento ou rompimentos dos vasos que levam sangue ao cérebro, provocando uma paralisia cerebral.

publicidade

Sintomas

Entre os sintomas do AVC estão: perda súbita da força no rosto, braço ou perna de um lado do corpo, alteração da sensibilidade ou sensação se formigamento dessas partes, perda subida da visão de um olho ou dos dois, alteração da fala, dor de cabeça intensa sem causa aparente, vertigem e desequilíbrio associado a náuseas e vômito.

Comentários