Carapicuíba tem obras com atraso e abandono

1

Prefeitura começou obra do Velório Municipal em 2012, mas abandonou a empreitada / Foto: Willian Galvão
Prefeitura começou obra do Velório Municipal em 2012, mas abandonou a empreitada / Foto: Willian Galvão

publicidade

William Galvão

Com 13 grandes obras em andamento, Carapicuíba tem sido alvo de críticas por parte da população e imprensa pelo atraso ou abandono de parte delas. O projeto Novo Centro, uma das principais, está com um ano e dois meses de atraso.

publicidade

O projeto é resultado de uma parceria entre a prefeitura e o governo do estado e tem investimento de R$ 80 milhões. Ainda no Centro, outra promessa da administração, o Velório Municipal, iniciou em 2012 e está abandonado. Segundo a assessoria da prefeitura, a construção “não teve aprovação popular e deve dar espaço a uma biblioteca pública”, que só começa a ser erguida quando as obras do Novo Centro forem concluídas.

Obra do novo centro tem 1 ano e dois meses de atraso

Ao lado da Prefeitura, também foi deixada de lado a construção do prédio do Programa de Modernização da Administração Tributária e da Gestão de Setores Sociais Básicos (PMAT), outra parceria com o estado, ao custo de R$ 1,2 milhão. Iniciada em 2008 e com entrega prevista para 2011, só a estrutura foi construída. A assessoria da prefeitura disse que o retorno deve começar em 15 dias.

publicidade

Entre as obras em dia estão a ampliação da Unidade Básica de Saúde (UBS) do Ariston, o Pronto Socorro da Cobah II, a Unidade de Saúde da Família (USF), o Conjunto Habitacional do Jardim das Flores, a Praça de Esportes e Cultura (INAC) e o Sesi Carapicuíba

Saúde
Iniciada em 2010 com previsão de entrega em 2011, a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24 horas do Parque Santa Tereza, ainda não ficou pronta. O investimento foi de R$ 1,5 milhão. O local está quase pronto; falta apenas pavimentação externa, instalação de pias e rede de informação, segundo a secretária de Saúde de Carapicuíba, Simone Augusta Monteaperto. “Precisamos licitar uma nova empresa, isso deve acontecer até julho, aí a obra é retomada e até o final deste ano deve ser entregue”, afirmou.

Esporte
A Secretaria de Esportes tem duas obras atrasadas. O ginásio Poliesportivo da Vila Dirce, em três anos. Parceria com o governo estadual, com investimento de R$ 1,2 milhão, foi vítima da desistência da construtora. O local está coberto, mas o chão é de terra e os banheiros e arquibancadas não foram concluídos.
Com mato alto, o terreno tem servido para um vizinho criar bodes e o surgimento de escorpiões, segundo moradores. A secretária de Esportes, Maria de Fátima de Brito, disse que do novo processo licitatório até o término da obra, o prazo é junho de 2015.

Infraestrutura
Iniciadas em 2007, as obras do PAC Cadaval (1ª fase) e PAC Cadaval Sulamericana (2ª fase), tinham previsão de entrega em dezembro do ano passado. Os projetos incluem a canalização do córrego Cadaval, construção da avenida que ligará a Vila Sulamericana à região da Vila Dirce, além da realocação das famílias que residem à margem do córrego para 728 moradias populares. Com custo de mais de R$ 23 milhões, até agora mais da metade do córrego foi canalizado e quase 400 apartamentos já foram entregues.
Segundo o prefeito Sergio Ribeiro (PT), essa obra vai “desafogar o trânsito da Inocêncio Seráfico e pretende montar um cinturão de acesso ao Centro da cidade”. A expectativa de término é até o final do ano.

Comentários