Osasco: em crise, Associação Comercial troca presidente

Osasco: em crise, Associação Comercial troca presidente

0
Compartilhar
O empresário Amir Gomes dos Santos substitui André Menezes de Melo no comando da Associação Comercial e Empresarial de Osasco, em meio a esforço para pagar dívidas e retomar quadro de associados

Desde o dia 5 de julho, a Associação Comercial e Empresarial de Osasco (ACEO) tem novo presidente: Dr. Amir Gomes dos Santos. Na manhã desta quarta-feira, 11, ele convidou a imprensa para apresentar as novas diretrizes do seu mandato e explicar as razões da repentina substituição de André Menezes de Melo como presidente, 13 meses antes da conclusão de seu mandato de 4 anos.

Amir é cidadão osasquense, proprietário da Paulista Contabilidade Empresarial e já era membro da diretoria da ACEO na atual gestão. Empresário respeitado na cidade, já coordenou a regional Osasco do Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis de São Paulo (SESCON). Sua condução à presidência da Associação para o “mandato tampão”, até 30 de julho de 2019, aconteceu depois da criação de um comitê para apurar a condição financeira da entidade. O trabalho do órgão, segundo ele, resultou “num consenso de que ele [André] deveria renunciar”, mas garantiu que a decisão teve participação do ex-presidente e não houve pressão. “Ele precisou sair para poder se dedicar a questões pessoais”, completou.

Em entrevista, evitando criticar o antecessor, de quem elogiou os dois primeiros mandatos, Dr. Amir garantiu que não houve desvios ou situações similares, mas ponderou que “houve falta de cuidado na gestão, que se deveu à condição financeira do país”. Nos últimos anos, a ACEO viu seu quadro de associados reduzir de 2 mil para pouco mais de 1 mil associados, “mas não houve o devido cuidado de olhar as despesas”, avalia.

Publicidade

A situação chegou a um ponto em que, durante uma reunião de diretoria, surgiu a proposta de penhora do moderno prédio próprio da entidade como forma de levantar recursos para sanear as dívidas. O trabalho do comitê financeiro para encontrar soluções começou em fevereiro. Desde então, cerca de 50% do quadro de funcionários foi cortado.

Segundo Amir, as despesas mensais foram saneadas e as dívidas com bancos foram renegociadas. Os principais credores da ACEO são os bancos Boa Vista e Bradesco. “Assim está sob controle, os compromissos mensais sendo pagos em dia”. No entanto, confirma ele, “permanece ainda nossa obrigação junto à Receita Federal [e INSS], mas estamos fazendo reserva financeira para entrar com o pedido de parcelamento”, garante.

O novo presidente ressalta que o objetivo da ACEO agora, além de regularizar os compromissos financeiros, é retomar parcerias que garantam a prestação de serviços e benefícios, em busca de incrementar o quadro de associados.

Compartilhar

Comentários