Propinoduto tucano: Emidio cobra investigação de “corrupção padrão FIFA”

0

Licitações irregulares teriam ocorrido no governo Alckmin / Foto: Marcelo Camargo/ABr
Licitações irregulares teriam ocorrido no governo Alckmin / Foto: Marcelo Camargo/ABr

publicidade

Leandro Conceição

Em evento no sábado, 3, no Centro de São Paulo, o ex-prefeito de Osasco, Emidio de Souza – que deve ser o próximo presidente do PT-SP -, os deputados federais Ricardo Berzoini (SP) e Carlos Zarattini (SP) e o estadual Luiz Claudio Marcolino cobraram investigação rigorosa da “corrupção padrão FIFA” no governo paulista, como Emidio definiu o escândalo das suspeitas de desvios de verba no Metrô e da CPTM.

“Precisamos cobrar uma posição da Assembleia Legislativa”

publicidade

O propinoduto tucano teria custado pelo menos R$ 425 milhões dos cofres públicos do estado, durante os governos dos tucanos de Mario Covas, José Serra e Geraldo Alckmin, segundo investigações do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

A oposição tenta instalar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do propinoduto, que esbarra na maioria de Alckmin na Assembleia. “Precisamos cobrar uma posição da Assembleia Legislativa. É hora de ela mostrar se está a serviço da transparência ou se vai continuar acobertando [os governos tucanos]”, afirma Emidio.

publicidade

O ex-prefeito também critica a cobertura da mídia sobre o escândalo, já que, avalia, emissoras de TV, rádio e jornais tiram o foco dos tucanos.
Desde o ano passado a multinacional alemã Siemens confirma que participou de um cartel que atuava nos contratos e licitações dos metrô e trens do estado e vem denunciado detalhes do esquema.

“Gestão do transporte público serve a interesses privados”

Na terça-feira, 6, o Movimento Passe Livre (MPL) – que iniciou a onda de protestos pela redução das tarifas de ônibus pelo país – e o Sindicato dos Metroviários distribuíram em estações de metrô uma carta aberta à população com explicações sobre o escândalo. O movimento realizará uma manifestação no dia 14, no Centro de São Paulo.

“O sufoco que passamos todo dia no trem e metrô é consequência de um sistema organizado não em função das demandas de seus trabalhadores e usuários, mas sim do bolso de uns poucos políticos e empresários”, diz a carta. “Não podemos ficar calados diante de mais essa evidência que a gestão do transporte coletivo em São Paulo serve aos interesses privados e não as necessidades da população”.

PF
A Polícia Federal abriu dois inquéritos para investigar o propinoduto tucano. Sobre as acusações de “partidarização” do caso feitas pelo PSDB, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, declarou: “É chegada a hora de os agentes públicos perceberem que é descabido aplaudirem uma investigação quando os investigados são seus adversários e acusarem de perseguição política quando são seus parceiros”.
Esta semana, o governador Geraldo Alckmin afirmou que, “se caracterizar o cartel, o estado é vítima. Se tiver algum agente público envolvido, que ele seja imediatamente responsabilizado e que haja ressarcimento”.

Foto: Wilson Dias/ABr
Foto: Wilson Dias/ABr

Provável presidente do PT-SP defende nome de Padilha

Em entrevista ao Visão Oeste, o ex-prefeito de Osasco, Emidio de Souza defendeu a pré-candidatura do ministro da Saúde, Alexandre Padilha, ao governo do estado em 2014.
“É o melhor nome que nós temos. É o nome mais preparado, um nome que o PT já vinha desenhando”, disse Emidio.
A decisão de o ministro ser o candidato já teria sido tomada em reunião na semana passada entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e outras lideranças do partido.
No entanto, a pré-candidatura de Padilha pode ser oficializada apenas no fim do ano. Isso porque ele pretende aguardar o fim da tramitação no Congresso da Medida Provisória que cria o programa Mais Médicos.

Comentários