Brasil sofre epidemia de sífilis; veja como se proteger

DST// Ministério da Saúde admite epidemia após 40 mil casos graves e 40 mil caos de sífilis congênita só em 2015

0
Brasil sofre epidemia de sífilis; veja como se proteger

Na última semana, o ministro da Saúde, Ricardo Barros, admitiu que o país vive uma epidemia de sífilis. De acordo com boletim epidemiológico do governo, entre 2010 e 2016 foram registrados 230 mil casos. A doença tem avançado em sífilis congênita, passada para os bebês durante a gestação. Só em 2015, foram 6,5 caos para cada mil nascidos vivos, algo em torno de 40 mil infectados.

publicidade

Nos casos de sífilis adquirida, denominação em relação à população em geral, a taxa foi de 42,7 casos para cada 100 mil habitantes. O Ministério assinou no último dia 20, durante Reunião Ordinária da Comissão Intergestores Tripartite (CIT), com 19 associações e conselhos de saúde, uma carta compromisso estabelecendo ações estratégicas para redução da sífilis congênita no país com prazo previsto de um ano. O foco é detectar precocemente a doença no início do pré-natal e encaminhar imediato tratamento com penicilina.

O que é a sífilis e como se proteger?

publicidade

A sífilis pode ser transmitida tanto por relação sexual sem proteção, quanto por contato direto com sangue contaminado, por transfusão de sangue ou durante a gestação, caso a mãe seja portadora da doença. Essa última é chamada de sífilis congênita e pode trazer complicações como aborto espontâneo, parto prematuro, má-formação do feto, surdez, cegueira, deficiência mental e até morte ao nascer.

A doença pode ser tratada com penicilina, mas se não for devidamente diagnosticada, o tratamento torna-se ainda mais complicado, podendo comprometer vários órgãos como olhos, pele, ossos, coração, cérebro e sistema nervoso. Além disso, o diagnóstico e o tratamento oportunos podem salvar a vida dos bebês.

publicidade

A detecção da bactéria é feita por meio de testes treponêmicos, onde uma amostra de sangue é suficiente para o diagnóstico. O uso de preservativos durante as relações sexuais é a maneira mais segura de prevenir a doença.

Comentários