Corintiano que matou esposa palmeirense que celebrava título da Libertadores é solto

O empresário, que confessou o crime, cumpria prisão preventiva desde o dia 31 de janeiro.

0
marido corintiano mata esposa palmeirense
Reprodução / Record TV

O Tribunal de Justiça de São Paulo determinou, nesta quinta-feira (25), a soltura de Leonardo Ceschini, que matou a esposa palmeirense Érica Fernandes a facadas após final da Copa Libertadores. O empresário cumpria prisão preventiva desde o dia 31 de janeiro, quando foi detido em flagrante e confessou o crime.

publicidade

Na decisão, a juíza Giovanna Christina Colares, da 5ª Vara do Júri de São Paulo, alega que foi expirado o prazo de cinco dias para que o Ministério Público (MP) recebesse os autos do inquérito policial e oferecesse a denúncia. “A prisão do indiciado representa nítido constrangimento ilegal, devendo ser imediatamente relaxada”, diz.

De acordo com informações do G1, a mesma juíza rejeitou um pedido de habeas corpus da defesa de Leonardo, que alegava problemas de saúde. Ao negar o pedido, a magistrada determinou que o réu tivesse acesso à consultas médicas na penitenciária onde estava preso, na capital.

publicidade

Erica teria sido morta após marido se incomodar com ela celebrando título do Palmeiras na Libertadores / Foto: reproduçãoO homicídio aconteceu no apartamento onde o casal viva com os filhos gêmeos, em um condomínio na região de Pirituba, em São Paulo, próximo a Osasco. Vizinhos relataram aos policiais que a briga entre Erica e Leonardo começou enquanto a mulher celebrava o título palmeirense, conquistado com a vitória por 1 x 0 na decisão contra o Santos.

publicidade

Com os gritos no apartamento do casal, vizinhos acionaram a PM. Quando os policiais chegaram, encontraram a mulher com diversos ferimentos de faca e sinais de espancamento.

Polícia investiga se sogro furtou carro e objetos de valor de palmeirense

Cinco dias após o crime, a família de Érica Fernandes acusou o sogro da vítima de ter furtado o carro, joias e utensílios do apartamento dela durante o velório. No boletim de ocorrência, obtido com exclusividade pelo Uol, familiares dizem que o pai de Leonardo Fernandes e sogro de Érica, levou um Jeep Renegade, duas TVs, uma air fryer, um micro-ondas, uma cafeteira e uma panela elétrica de dentro do apartamento onde o casal vivia.

O sogro da vítima teria agido com outra pessoa no mesmo período em que ocorreu o velório e enterro da palmeirense. “Eles tiveram a frieza de pisotear sobre o sangue da Érica, da minha irmã, que estava no chão”, lamentou irmã.

Os parentes afirmaram ainda que uma pessoa, que teria se apresentado apenas como Alessandra e dizia ser advogada, teria levado o celular da vítima, bem como documentos pessoais dela e das crianças.

Comentários