“É lamentável ver o presidente mentir descaradamente”, diz Emidio

0
emidio bolsonaro
Presidente foi "pego na mentira" ao dizer que vídeo que compartilhou é de 2015, enquanto a publicação traz imagens de 2018

O deputado estadual osasquense Emidio de Souza (PT) criticou o presidente Jair Bolsonaro, “pego na mentira” ao dizer que vídeo compartilhado por ele via WhatsApp foi feito em 2015, quando, na verdade, a publicação traz imagens de 2018.

publicidade

“É lamentável ver um Presidente ameaçar jornalistas, a democracia e ainda MENTIR descaradamente ao seu povo. Bolsonaro não está à altura do cargo que ocupa!”, declarou Emidio, que é ex-prefeito de Osasco, nas redes sociais.

O vídeo compartilhado pelo presidente convoca para manifestação contra o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal (STF), no dia 15 de março. Além de gerar atrito com parlamentares e ministros do STF, opositores afirmam que o presidente se engajar em manifestações do tipo atenta contra a democracia e configura crime de responsabilidade, o que pode até levar ao impeachment.

publicidade

Em transmissão no Facebook, Bolsonaro criticou Vera Magalhães, a jornalista que deu a notícia de que ele estaria compartilhando a convocação para o protesto, e disse que o vídeo foi feito em 2015, para ato contra a então presidente Dilma Rousseff. No entanto, a publicação traz imagens da facada sofrida por Bolsonaro, na campanha eleitoral de 2018. Portanto, é impossível que o vídeo seja de 2015, como afirmou o presidente.

Bolsonaro declarou na live no Facebook (assista abaixo): “Esse vídeo deve tá rodando por aí, vou botar no meu Facebook daqui a pouco, é um vídeo que eu peço o comparecimento na manifestação de 15 de março de 2015, que, por coincidência, foi num domingo. E daí, pelo que parece, Vera Magalhães, você pegou esse vídeo, não posso afirmar que seja essa a história realmente, (porque) não sou da tua laia, então, em cima disso você fez a matéria que eu taria disparando WhatsApp pedindo apoio para o movimento do dia 15 de março agora”.

publicidade

Após a fala do presidente, Vera Magalhães o rebateu de pronto via Twitter: “Aqui está o print que publiquei dos DOIS vídeos que o senhor enviou a seus contatos no WhatsApp neste feriado, e não em 2015. Veja que tem seu passeio de moto no Guarujá, depois seu texto, e os dois vídeos, presidente. Eles falam da facada que o senhor sofreu, que foi em 2018, e de sua eleição, também em 2018. Como podem ser de 2015?”, questionou.

“Portanto aqui está a minha vergonha na cara. O senhor foi aconselhado a fazer essa live nesses termos? Acho perigoso a um presidente mentir em rede nacional. Acrescenta mais uma à sua lista de condutas impróprias. Um abraço”, acrescentou a jornalista.

Comentários