Eduardo Campos diz ser alternativa ao “debate do passado contra o passado”

0

“Não estamos condenados a ser governados pelos Sarneys e Collors da vida”, disse Campos
“Não estamos condenados a ser governados pelos Sarneys e Collors da vida”, disse Campos

publicidade

Leandro Conceição

O pré-candidato do PSB à presidência, Eduardo Campos, visitou Osasco na sexta-feira, 30. Em entrevista coletiva, ele falou de planos de governo e fez críticas aos rivais Aécio Neves (PSDB) e, principalmente, à presidente Dilma Rousseff (PT) , que buscará a reeleição. Campos se colocou como alternativa à polarização entre PT e PSDB, que, disse, fazem um debate “do passado contra o passado, dos que querem dividir o Brasil”. “Nós queremos unir o Brasil”.
O pré-candidato do PSB teceu elogios ao presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, que anunciou sua aposentadoria para este mês. Nos bastidores, há uma articulação por uma aproximação de Barbosa ao PSB.

“O apoio de Joaquim Barbosa todos gostariam de ter”

publicidade

Como vai se aposentar fora do prazo que teria para concorrer a algum cargo nas eleições deste ano, que se encerrou em 5 de abril, avaliou Campos, “ele mandou um recado claro que não deseja participação direta no processo eleitoral, pelo menos nesta eleição”. No entanto, o pré-candidato destacou: “Quanto ao apoio do ministro Joaquim Barbosa, todos os candidatos gostariam de ter”.
Eduardo Campos criticou a prática de divisão de cargos baseada em apoio político: “Começamos a resolver isso na campanha. Com pouco tempo de televisão, poucos recursos, para poder chegar ao governo sem estar comprometido com essa velha política”.

“É possível governar o Brasil sem ficar de joelhos àqueles que querem fazer da corrupção a prática política cotidiana”, afirmou.
“Não estamos condenados a ser governados pelos Sarneys e Collors da vida”, disparou Eduardo Campos.

publicidade

Pré-candidato do PSB se diz contra a regulação da mídia

No evento em Osasco, Eduardo Campos disse ser contra a proposta de regulação da mídia, que é buscada há anos pelo PT e, na semana passada, foi defendida pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), que declarou que “não há como regular adequadamente a democracia sem regular adequadamente os meios de comunicação”.
FHC afirmou ainda que “os meios de comunicação no Brasil não trazem o outro lado. Isso não se dá por pressão de governo, mas por uma complexidade de nossa cultura institucional. Nós temos toda a arquitetura democrática, menos a alma”.

Para Eduardo Campos, “a grande regulação da mídia vem do leitor, da capacidade do leitor de fazer sua escolha”. “Temo me aproximar de qualquer coisa que possa representar censura”, disse, no evento.
Campos foi o segundo presidenciável a passar pela região. Aécio Neves (PSDB) esteve em Cotia no dia 16 de maio. A vinda do pré-candidato do PSB à presidência a Osasco foi articulada pela Associação dos Jornais do Interior do Estado de São Paulo (Adjori-SP). A entrevista coletiva foi realizada no auditório do jornal Diário da Região.

Comentários