Nilson Cadeirante apresenta vídeos que podem provar sua inocência

0
Legislativo de Santana de Parnaíba tem tido sessões agitadas por trocas de acusações / Foto: Eduardo Metroviche

Legislativo de Santana de Parnaíba tem tido sessões agitadas por trocas de acusações / Foto: Eduardo Metroviche
Legislativo de Santana de Parnaíba tem tido sessões agitadas por trocas de acusações / Foto: Eduardo Metroviche

publicidade

Carol Nogueira

Para o vereador Nilson Cadeirante (SDD), o vídeo em que ele aparece recebendo cerca de metade do salário de um ex-assessor foi uma tentativa de “golpe”. O parlamentar sustenta a tese após disponibilizar ao Visão Oeste e a outros jornais vídeos que poderiam mudar o rumo das investigações realizadas pelo Ministério Público desde o dia 28 de janeiro (confira no site do Visão).

publicidade

Nilson reconhece que o material apresentado aos jornalistas foi editado, mas o Ministério Público recebeu na íntegra. Num dos vídeos o vereador conversa com o ex-asssessor Erivelto da Silva Carvalho e o questiona se alguma vez houve partilha de salário. O ex- assessor nega. O jovem também não sabe justificar porque fez a filmagem e compromete-se a fazer uma declaração afirmando que nunca dividiu salário com o parlamentar.

Segundo o vereador, o dinheiro que fica em seu poder nas filmagem apresentada pela TV Record seria o pagamento por prejuízos causados pelo ex-assessor ao veículo da esposa de Nilson num acidente. O valor total do ressarcimento seria de R$1.700.

publicidade

Nilson acredita que presidente da Câmara arquitetou “armação”

O vereador disponibilizou ainda outra filmagem em que aparece o presidente da Câmara Municipal, Nequinho Desanti (SDD) em reunião. Apesar de as legendas indicarem a presença de outros vereadores, não é possível identificá-los.

Na filmagem, Nequinho relata uma conversa com Dr. Rogério (PC do B), vereador a quem teria consultado na condição de advogado. “Se a carta que o senhor pediu para o menino [ex-assessor de Cadeirante] trazer aqui, for aquela carta da denúncia, nós estamos todos encrencados, porque acusa duas coisas ali… não é só do dinheiro, do fantasma… quando pega fantasma, pega funcionário e quando pega funcionário, pega todos nós”, explica Nequinho no vídeo.

De acordo com Cadeirante, a reunião foi realizada no dia 10 de janeiro, durante o recesso, e anterior à veiculação da denúncia na TV Record. Nequinho confirmou o encontro: “Eu me reuni com os vereadores e questionei sobre o que faríamos com mais uma denúncia na casa e eles me disseram para enviar à comissão de ética e que, se houvesse denúncia, o menino [Erivelto] devia apresentar”, disse. Ele desqualifica as novas revelações. “Não fui eu que com um ano de vida pública fui pego tomando dinheiro de funcionário”, acusa.

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorVisão na Rede
Próximo artigoBarueri muda modo de avaliação