Prefeito nega implantação de Zona Azul fora da região central de Osasco

1
Cobrança começou há poucos dias no bolsão de estacionamento da Prefeitura / Foto: Eduardo Metroviche

Cobrança começou há poucos dias no bolsão de estacionamento da Prefeitura / Foto: Eduardo Metroviche
Cobrança começou há poucos dias no bolsão de estacionamento da Prefeitura / Foto: Eduardo Metroviche

publicidade

Leandro Conceição

O prefeito de Osasco, Jorge Lapas (PT) negou, em entrevista ao Visão Oeste, que a Prefeitura vá implantar zona azul fora da região central. “A questão [da Zona Azul] nos bairros não está colocada. Tem algum estudo neste sentido, mas vai ser amplamente discutido com comerciantes, moradores. Não há intenção de expansão [da Zona Azul] neste momento”, afirmou, durante evento de posse dos presidentes da Junta Militar, na quarta-feira, 27.
A ideia de implantação da Zona Azul nos bairros havia sido anunciada pelo secretário de Transportes e Mobilidade Urbana, João Góis, no fim do mês passado.

“Não há intenção neste momento”, diz Lapas

publicidade

O objetivo seria “democratizar vagas” em pontos de grande movimento fora da região central. “Se você for à avenida Antônio C. Costa ou na João de Andrade ou a qualquer bairro, há necessidade de se democratizar vagas”, disse.
Já Lapas afirma que “Tem estudo [sobre a implantação de zona azul nos bairros], como tem estudo para tudo. Mas nada vai ser implantado sem uma ampla discussão”, assegura o prefeito.

Na Prefeitura
Jorge Lapas também falou sobre a implantação de Zona Azul no estacionamento da Prefeitura, que afeta mais de 200 vagas.
“Nós fizemos uma pesquisa e 80% das pessoas que se utilizavam daquele estacionamento não eram funcionários e não iriam se utilizar dos serviços da Prefeitura. Colocamos estacionamento rotativo para eliminar este tipo de problema”, justificou.
“A gente acha justo que seja rotativo, que a pessoa que vá se utilizar do estacionamento da Prefeitura pague, utilize o serviço e vá embora, para outras pessoas usarem”, completou o prefeito.
O valor mínimo da cobrança é R$ 0,80 por 30 minutos de estacionamento.

publicidade

Terminal do Largo deve estar completo em um mês

No evento de quarta-feira, 27, o prefeito de Osasco, Jorge Lapas, também falou sobre duas questões que têm sido alvo de críticas da oposição: os problemas no terminal do Largo de Osasco e a demora na reforma da rua Primitiva Vianco, no Centro.

Sobre o terminal, inaugurado em dezembro, Lapas disse que “não está concluído ainda”.
De acordo com o prefeito, em um mês o terminal estará completo, com proteções atrás dos bancos e calhas com um condutor de água até o chão para evitar que os pedestres se molhem durante as chuvas.
Lapas afirma que o terminal começou a funcionar inacabado porque, em meio às obras de reformas na região central, “onde [os passageiros] estavam, não tinha cobertura nenhuma”.

Primitiva Vianco
Sobre a reforma da rua Primitiva Vianco, que começou em outubro com previsão de entrega até dezembro do ano passado, o prefeito declarou que o atraso ocorre devido à problemas com a empreiteira responsável pela obra.
“A reforma estava andando até em ritmo acelerado, mas eu não gostei da qualidade do serviço, teci algumas críticas à empresa do que ela estava fazendo errado, ela está consertando. Mas começou a fazer errado de novo. Então, pedi que paralisasse, consertasse. Prefiro demorar um pouquinho mais e entregar o serviço com qualidade”.

Comentários