Ratinho defende Bolsonaro e chama opositores de “cambada de vagabundos”

O apresentador alfinetou opositores e a imprensa pelas críticas ao trabalho de Bolsonaro durante a pandemia

0
ratinho e bolsonaro
Fotos: Divulgação/Sérgio Lima Poder360

Um dos apoiadores e amigos de Jair Bolsonaro (sem partido), o apresentador Ratinho saiu em defesa do presidente durante a exibição do seu programa, no SBT, emissora sediada em Osasco.

publicidade

Ratinho alfinetou opositores e a imprensa pelas críticas ao trabalho de Bolsonaro durante a pandemia de covid-19. “O presidente Jair Bolsonaro tem recebido todo tipo de crítica. O governo e o Ministério da Saúde são depreciados constantemente pela oposição e por parte da imprensa, que não reconhece a importância do trabalho que vem sendo realizado. É pra perder a paciência”, disparou.

“O governo federal já garantiu 350 milhões de doses contra a covid-19 para este ano. O Ministério da Saúde já distribuiu mais de 6 milhões de doses para os estados, e a campanha já começou. Mas, infelizmente, sempre tem alguns espertalhões que não que não têm senso de cidadania. O que você tem a dizer dessas pessoas que estão furando a fila para serem vacinadas? Qual sua opinião sobre elas? Na minha opinião, elas são canalhas”, continuou o apresentador, em rede nacional.

publicidade
ratinho e bolsonaro
Foto: Reprodução/SBT

“Muitos que criticam estão levantando as mangas da camisa querendo tomar vacina na frente dos outros. Cambada de vagabundo”, disse ainda o apresentador. Ratinho continuou o discurso dizendo que o “presidente não pode fazer nada sozinho. O apoio, nesse momento de crise, tem que vir de toda a sociedade. É muito fácil apontar o dedo e acusar quem não tem culpa, né?”, defendeu.

Ratinho declarou ainda que a oposição e governadores de alguns estados do país se uniram para “atrapalhar providências” do governo federal durante o enfrentamento à pandemia.

publicidade

Ao compartilhar o vídeo do discurso de Ratinho no Twitter, Bolsonaro classificou a fala do apresentador como “uma visão da política nacional”.

Comentários