Proposta de Bolsonaro prevê 40 anos de contribuição para aposentadoria integral; sindicatos...

Proposta de Bolsonaro prevê 40 anos de contribuição para aposentadoria integral; sindicatos protestam em Osasco

3
Compartilhar
Protesto contra a reforma da Previdência em frente à agência do INSS em Osasco na manhã de hoje (20) reuniu representantes de diversos sindicatos

O trabalhador precisará contribuir 40 anos para aposentar-se com 100% da média do salário de contribuição, informou hoje (20) o Ministério da Economia do governo Jair Bolsonaro no âmbito da proposta de reforma da Previdência.

Publicidade

A nova fórmula de cálculo do benefício substituirá o fator previdenciário, usado atualmente no cálculo das aposentadorias do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Atualmente, os benefícios do INSS são calculados da seguinte forma: sobre 80% da média do salário de contribuição para a Previdência incide o fator previdenciário, que mistura expectativa de vida e tempo de contribuição. A aplicação do fator previdenciário resulta em aposentadorias mais elevadas para quem trabalha mais tarde e em benefícios menores caso a expectativa de vida da população aumente.

Pelas novas regras, o trabalhador com 20 anos de contribuição começará recebendo 60% da média das contribuições, com a proporção subindo dois pontos percentuais a cada ano até atingir 100% com 40 anos de contribuição. Caso o empregado trabalhe por mais de 40 anos, receberá mais de 100% do salário de benefício, algo vetado atualmente.

Durante o período de transição de 12 anos, no entanto, o limite de 100% continuará valendo, tanto para o setor público como o privado.

Publicidade

Protesto

Na manhã desta quarta-feira (20) representantes de 23 sindicatos da região realizaram um protesto em frente a agência do INSS em Osasco, no Jardim Piratininga, contra a reforma da Previdência.

“A reforma da Previdência proposta pelo atual governo é penosa, imoral e degradante”, declarou o presidente do Conselho Intersindical de Saúde e Seguridade Social de Osasco, José Elias de Góis.

“Sabemos das dificuldades por nós enfrentadas, mas não podemos nos abater, o remédio para os grandes males, continuam sendo a luta e a resistência”, completou.

Com Agência Brasil

Compartilhar


Comentários

2 Comentários

  1. Vocês se enganaram não é 40 anos, pois terá que ter 65 homens, fazendo as contas quem começou trabalhar aos 16 anos vai trabalhar 49 anos…para ter 100% se não vai pagar 18% de pedágio.

  2. O que prejudica a Previdência não é o trabalhador que já contribuiu seus 35 anos ou mais, o problema está nos altíssimos salários pagos para aqueles que não contribuíram quase nada e ganham muito. Hoje o número de pessoas desempregadas é um absurdo, como teremos condições de trabalhar até 65, 70 anos se com 25, 30, 45 anos não se tem emprego? A reforma tem que ser feita sim, mais não nas costas do trabalhador, tem que ser sim em cima dos políticos. E tem uma coisa que ninguém comentá mais, sobre o rombo que a excelentíssima Georgina causou a Previdência. Para onde foi todo o dinheiro roubado? Toda crise na Previdência acredito que começou com ela, ou eu estou errado?

Faça seu comentário

Mais notíciasHoróscopo de Hoje: quarta-feira, 20 de fevereiro
Mais notíciasDesempregado? Confira como ter isenção na tarifa na CPTM e Metrô