Secretário diz que vai agilizar contratação de médicos em Osasco

1

Secretário conversa com médicos. Foto: Leandro Palmeira
Secretário conversa com médicos. Foto: Leandro Palmeira

publicidade

O secretário de Saúde de Osasco, José Amando Mota, se reuniu na segunda-feira, 22, com os médicos que irão começara a atender na rede pública de Osasco.

No encontro, que aconteceu no departamento de Recursos Humanos da prefeitura, o secretário conversou, ao longo do dia, com cerca de 140 médicos que foram recontratados e os 50 novos. Segundo ele, a prefeitura, através da Secretaria de Administração, está começando a agilizar os registros dos contratos desses médicos, reduzindo a efetivação, que antes era feita em 15 dias e agora passa para três dias.

publicidade

Presente na recepção desses profissionais, a secretária de Administração, Marisa Elizabeth, avalia que a iniciativa, somada às equipes de acolhimento que começarão a atender nas unidades de saúde, vai trazer melhorias ao sistema de saúde de Osasco.

O secretário de Saúde, José Amando Mota, apelidou a medida de “poupa-tempo da contratação do médico”. Segundo José Amando, a agilização está sendo feita de uma forma que o médico não precisará ir até o departamento de recursos humanos, pois o contrato será levado até ele. Isso ganhará, em média, 15 dias. De acordo com ele, isso facilitará o trabalho, pois não será necessário interromper o expediente médico. “O paciente precisa dele lá na ponta. Não tem cabimento demorar muito e tirá-lo de seu ambiente de trabalho para fazer essas contratações”, salientou o secretário.

publicidade

Os 50 profissionais recém-contratados pela Secretaria da saúde atendem diversas especialidades, como clínica-geral (socorristas), pediatria, entre outros.

Críticas

A área da saúde tem sofrido críticas devido à falta de médicos. Na semana passada, reportagem do jornal SPTV, da TV Globo, mostrou a espera de cerca de quatro horas para atendimento no hospital Antônio Giglio. As portas do hospital chegam a ser fechadas em alguns momentos devido à falta de médicos.

Na mesma reportagem, o secretário de Saúde, José Amando Mota, alega dificuldade para contratar médicos devido aos salários praticados no município e garante que em até 90 dias vai encaminhar projeto de lei à Câmara Municipal alterando a forma de pagamento dos médicos, que passará a ser por hora de trabalho. “Baseado em estudos de outros municípios, [com essa medida] praticamente você dobra esse salário”, disse o secretário.

Em audiência na semana passada na Assembleia Legislativa, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, anunciou recursos para os municípios. O prefeito de Osasco, Jorge Lapas (PT), esteve no evento. Leia mais aqui.

Comentários