“Tô muito bem, graças a Deus”, diz ambulante que passou mal ao...

“Tô muito bem, graças a Deus”, diz ambulante que passou mal ao ter mercadorias apreendidas em Barueri

0
Compartilhar
ambulante barueri

Em novo vídeo que circula nas redes sociais, Maria do Carmo Silva, a ambulante que passou mal e foi parar no pronto socorro ao ter suas mercadorias apreendidas por fiscais da Prefeitura de Barueri, comenta sobre os boatos de que teria morrido no episódio: “Eu ‘tô’ muito bem, graças a Deus”.

“Jesus me ressuscitou. Muita gente disse que eu tava morta, mas Jesus disse: ‘não, ela está viva, para fazer a minha obra, no dia a dia, em todo lugar da face da Terra, fazendo meu querer e a minha vontade’”, declarou Maria do Carmo.

Publicidade

 

A nossa vovó está bem 🙏🙏👵👵👵.
Um vídeo que circula nas redes sociais mostra uma ambulante idosa supostamente passando mal caída no chão após ter suas mercadorias apreendidas por fiscais da Prefeitura de Barueri no terminal rodoviário do Centro da cidade, na tarde de quarta-feira (4).

Publicidade

As imagens mostram a idosa, chamada Maria do Carmo Silva, que costuma vender doces no local, tentando convencer os fiscais a manter suas mercadorias “pelo amor de Deus”. De repente, ela cai no chão e começa a tremer. Criticados por populares que acompanhavam a cena, os fiscais começam a atendê-la e acionam o resgate.

VÍDEO MOSTRA IDOSA PASSANDO MAL AO TER MERCADORIAS APREENDIDAS EM BARUERI E PREFEITURA DIZ QUE É SIMULAÇÃO

A assessoria de imprensa da Prefeitura de Barueri diz, em nota, que dona Maria pode ter simulado: “Mesmo sendo de conhecimento que alguns ambulantes irregulares, para provocar comoção popular, têm a prática de simularem mal súbito e crise nervosa quando se deparam com a fiscalização, a equipe [de fiscais], por não ter a competência legal para avaliar a condição de saúde, agiu dentro das normas protocolares acionando o socorro médico, que prestou o atendimento com rapidez”.

Já conhecidos e clientes de dona Maria não acreditam em simulação: “Ela sempre vende lá, está alegre, com suas coisinhas. Ela é uma pessoa de idade, ela não vai simular nada. Todos conhecem ela”, afirmou o aposentado Rodrigo C.

Publicidade

Morte?
Nas redes sociais, chegaram a circular boatos de que a ambulante havia morrido, o que não é verdade. Maria foi socorrida e atendida no Pronto Socorro Central (Sameb), de onde saiu mesmo sem autorização médica, segundo a assessoria de imprensa da administração municipal.

“No dia seguinte, a Prefeitura enviou uma equipe multidisciplinar de saúde (psicólogo, assistente social e enfermeiro) à residência dela para avaliar a necessidade de auxílio, mas foi recebida por um familiar, que informou aos profissionais que ela estava bem, mas não estava em casa”, continua a assessoria.

A administração municipal afirma ainda que a ambulante já havia sido avisada de que, se permanecesse no local de forma irregular, a mercadoria seria apreendida.

Confira íntegra de nota da Prefeitura sobre o episódio:
– como mostram as imagens do vídeo viralizado pelas redes sociais, não há agressão ou truculência por parte dos fiscais;

Publicidade

– a equipe de fiscalização já havia orientado a senhora, na parte da manhã, que se permanecesse no local de forma irregular, a mercadoria seria apreendida;

– mesmo sendo de conhecimento que alguns ambulantes irregulares, para provocar comoção popular, têm a prática de simularem mal súbito e crise nervosa quando se deparam com a fiscalização, a equipe, por não ter a competência legal para avaliar a condição de saúde, agiu dentro das normas protocolares acionando o socorro médico, que prestou o atendimento com rapidez;

– no Pronto-Socorro após ser examinada, a senhora não aguardou a recomendação médica de permanecer no local para observação e deixou a unidade;

– no dia seguinte, a Prefeitura enviou uma equipe multidisciplinar de saúde (psicólogo, assistente social e enfermeiro) à residência dela para avaliar a necessidade de auxílio, mas foi recebida por um familiar, que informou aos profissionais que ela estava bem, mas não estava em casa;

Publicidade

– diante do boato divulgado nas redes sociais de que ela havia falecido, a Prefeitura entrou em contato com os órgãos de segurança e de saúde e não encontrou nenhum registro nesse sentido;

– a fiscalização do comércio irregular se faz necessária também por uma questão de saúde pública, pois alguns produtos alimentícios não atendem às exigências sanitárias previstas em lei;

– a fiscalização tem base na Lei Complementar 116, de 21 de junho de 2012, regulamentada pelo Decreto 5.083, de 8 de Novembro de 2002, que proíbe o comércio ambulante ilegal na cidade;

– a todos os ambulantes irregulares, que moram em Barueri, são apresentados os canais de reinserção e qualificação profissional do município, como Programa Meu Futuro, Casa do Trabalhador, Posto de Atendimento Sebrae – Barueri e Banco do Povo.

Publicidade

Publicado por Barueri 24 Horas em Sexta-feira, 6 de setembro de 2019

A ambulante virou assunto nas redes sociais com um vídeo que mostra ela passando mal caída no chão após ter suas mercadorias apreendidas por fiscais da Prefeitura de Barueri no terminal rodoviário do Centro da cidade, na tarde de quarta-feira (4).

As imagens mostram Maria do Carmo, que costuma vender doces no local, tentando convencer os fiscais a manter suas mercadorias “pelo amor de Deus”. De repente, ela cai no chão e começa a tremer. Criticados por populares que acompanhavam a cena, os fiscais começam a atendê-la e acionam o resgate.

Publicidade

Ambulante idosa passa mal ao ter mercadorias apreendidas em Barueri

Vídeo mostra idosa passando mal ao ter mercadorias apreendidas em Barueri e Prefeitura diz que é simulação.

Saiba mais: https://www.visaooeste.com.br/video-mostra-idosa-passando-mal-ao-ter-mercadorias-apreendidas-em-barueri-e-prefeitura-diz-que-e-simulacao/

Publicado por Jornal Visão Oeste em Sexta-feira, 6 de setembro de 2019

Publicidade

A assessoria de imprensa da Prefeitura de Barueri diz, em nota, que dona Maria pode ter simulado: “Mesmo sendo de conhecimento que alguns ambulantes irregulares, para provocar comoção popular, têm a prática de simularem mal súbito e crise nervosa quando se deparam com a fiscalização, a equipe [de fiscais], por não ter a competência legal para avaliar a condição de saúde, agiu dentro das normas protocolares acionando o socorro médico, que prestou o atendimento com rapidez”.

Já conhecidos e clientes de dona Maria não acreditam em simulação: “Ela sempre vende lá, está alegre, com suas coisinhas. Ela é uma pessoa de idade, ela não vai simular nada. Todos conhecem ela”, afirmou o aposentado Rodrigo C.

Confira íntegra de nota da Prefeitura sobre o episódio:

– como mostram as imagens do vídeo viralizado pelas redes sociais, não há agressão ou truculência por parte dos fiscais;

– a equipe de fiscalização já havia orientado a senhora, na parte da manhã, que se permanecesse no local de forma irregular, a mercadoria seria apreendida;

Publicidade

– mesmo sendo de conhecimento que alguns ambulantes irregulares, para provocar comoção popular, têm a prática de simularem mal súbito e crise nervosa quando se deparam com a fiscalização, a equipe, por não ter a competência legal para avaliar a condição de saúde, agiu dentro das normas protocolares acionando o socorro médico, que prestou o atendimento com rapidez;

– no Pronto-Socorro após ser examinada, a senhora não aguardou a recomendação médica de permanecer no local para observação e deixou a unidade;

– no dia seguinte, a Prefeitura enviou uma equipe multidisciplinar de saúde (psicólogo, assistente social e enfermeiro) à residência dela para avaliar a necessidade de auxílio, mas foi recebida por um familiar, que informou aos profissionais que ela estava bem, mas não estava em casa;

– diante do boato divulgado nas redes sociais de que ela havia falecido, a Prefeitura entrou em contato com os órgãos de segurança e de saúde e não encontrou nenhum registro nesse sentido;

Publicidade

– a fiscalização do comércio irregular se faz necessária também por uma questão de saúde pública, pois alguns produtos alimentícios não atendem às exigências sanitárias previstas em lei;

– a fiscalização tem base na Lei Complementar 116, de 21 de junho de 2012, regulamentada pelo Decreto 5.083, de 8 de Novembro de 2002, que proíbe o comércio ambulante ilegal na cidade;

– a todos os ambulantes irregulares, que moram em Barueri, são apresentados os canais de reinserção e qualificação profissional do município, como Programa Meu Futuro, Casa do Trabalhador, Posto de Atendimento Sebrae – Barueri e Banco do Povo.

Compartilhar

Comentários