A luta continua: bebê de Cotia precisa de ajuda para fazer exame de R$ 7 mil

Allana é considerada prematura extrema e vive há um ano com uma traqueostomia por não conseguir respirar sozinha

0
vaquinha bebê de cotia
Contribua com a vaquinha virtual #TodosPelaAllana / Foto: Reprodução

A família de Allana Milloch Fonseca, de 1 ano e 5 meses, continua na luta para conseguir realizar um exame essencial para a bebê, que mora no Jardim Araruama, em Cotia. Sem condições financeiras para custear o procedimento, os pais dela criaram uma vaquinha virtual para levantar recursos.

publicidade

Por não conseguir respirar sozinha, Alana vive há um ano com uma traqueostomia e para retirá-la, precisa fazer uma Broncoscopia. A família enfrenta ainda dificuldade para encontrar uma rede hospitalar que tenha o equipamento específico para Allana, que é considerara prematura extrema (hoje, com 5 kg – peso considerado comum para um bebê de até dois meses).

Inicialmente, os pais conseguiram encontrar o exame, por R$ 4 mil, na Beneficência Portuguesa, na capital. Após passar por uma avaliação, na sexta-feira (5), a unidade informou que o broncoscópio apropriado para a pequena deve ser neonatal, diferente do que eles possuem. Com isso, a família teve que recorrer a outro hospital.

publicidade

“O único hospital que realmente tem a câmera naringoscópica e o broncoscópio tudo certinho é o Sabará Hospital Infantil. Levamos a Allana lá para fazer uma avaliação e eles disseram que conseguem realizar o exame, mas o valor aumenta”, explica Dienifer Bragiato Fonseca Miloch, mãe da bebê, ao Visão Oeste.

O valor do exame no Sabará é de R$ 7,3 mil, inclusos uma diária no hospital, medicamentos, materiais de consumo, taxas (sala cirúrgica, equipamentos e serviços de enfermagem), videoendoscópio, gasoterapia (ar comprimido, oxigênio, nebulização e oxido nitroso), honorários médicos e de anestesista.

publicidade

Com a vaquinha virtual criada para levantar recursos e custear o procedimento, a família de Allana já conseguiu pouco mais de R$ 5 mil. Para doar, basta acessar o link da vaquinha Todos por Allana.

Conheça a história da pequena Allana, bebê de Cotia

Allana luta pela vida desde o ventre da mãe, quando foi tida como morta pelos médicos, mas veio ao mundo em agosto de 2019, com apenas 26 semanas de gestação, pesando 530 gramas. Devido ao grau de prematuridade, Allana precisou ficar sete meses na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal.

Allana é fruto de uma gestação gemelar. Aylla, sua irmã chegou a ficar dois meses na UTI e depois recebeu alta. Já Allana foi submetida à uma traqueostomia aos cinco meses porque não conseguia respirar sozinha e estava entubada há um bom tempo.

Somente após realizar a Broncoscopia, a família conseguirá um diagnóstico preciso sobre o motivo de Allana não conseguir respirar sozinha. Mais informações podem ser obtidas com a mãe da bebê, por meio do WhatsApp (11) 94293-9009.

Comentários