Covid-19 aumentou após eleições, não com abertura de bares e restaurantes, diz SinHoRes Osasco – Alphaville e Região

Para o SinHoRes Osasco - Alphaville e Região, “fechar bares e restaurantes a noite e aos finais de semana só vai aumentar a aglomeração nas festas em residências, nas baladas clandestinas e pontos de encontro não fiscalizados”.

0
restaurante covid osasco
Pixabay

O Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares (SinHoRes) Osasco – Alphaville e Região criticou e pediu que seja revogada a determinação do governo do estado que impede a abertura desses estabelecimentos, assim como shoppings e centros de compras, entre outros, depois das 20h e aos fins de semana e feriados, a partir de segunda-feira (25).

publicidade

O governo estadual afirma que a mudança no Plano São Paulo visa combater o aumento dos casos de covid-19 registrado nas últimas semanas. Para o SinHoRes Osasco – Alphaville e Região, “fechar bares e restaurantes a noite e aos finais de semana só vai aumentar a aglomeração nas festas em residências, nas baladas clandestinas e pontos de encontro de jovens que não são fiscalizados pelo poder público”.

“Bares e restaurantes são locais seguros que atuam com respeito a todas as recomendações sanitárias e de distanciamento. Quando o setor reabriu suas portas, em julho de 2020, não se verificou aumento de casos de covid -19. Isso ocorreu após as eleições e as festas de final de ano”, emendou a organização, lembrando que durante a campanha eleitoral para as eleições municipais de novembro, candidatos foram criticados por promover eventos com aglomeração de apoiadores.

publicidade

O Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares afirma que o faturamento com o delivery, que continua permitido, é baixo, e que o aumento das restrições de funcionamento vai levar ao fechamento de milhares de estabelecimentos em um setor que teve cerca de 20% das empresas encerradas em meio à pandemia, segundo a entidade.

“Essa medida trará inequívocos prejuízos e consequente desemprego no setor que mais gera postos de trabalho na região metropolitana oeste”, afirma a entidade que representa os hotéis, bares e restaurantes de Osasco, Alphaville e Região. O SinHoRes critica ainda o aumento da alíquota de ICMS do setor de Alimentação Fora do Lar – AFL, enviada pelo Governo e aprovada na Assembleia Legislativa.

publicidade

Confira íntegra da nota do SinHoRes Osasco – Alphaville e Região:

“Com o aumento da alíquota de ICMS do setor de Alimentação Fora do Lar – AFL, enviada pelo Governo e aprovada na Alesp, e o anúncio feito hoje de revisão do Plano São Paulo, proibindo a atividade de Bares e Pizzarias, além de restrição de atendimento presencial nos Restaurantes ao horário de almoço de segunda a sexta-feira, o Governo do Estado decreta o fechamento definitivo de milhares de estabelecimentos e a demissão de milhares de pessoas!

Já a permissão para o delivery não é uma opção para a maioria das empresas que não dispõe desse serviço e o faturamento não chega a 10% do necessário para manter a empresa aberta, tratando-se exclusivamente de uma ação complementar ao salão, marketing e respeito ao cliente.

A categoria econômica do Turismo, representada pelo SinHoRes (hospitalidade, gastronomia, eventos, lazer e viagens), compreende a boa intenção quando ocorreu o primeiro fechamento, em 2020. Mas, naquela oportunidade, havia uma finalidade clara: organizar o sistema de saúde! Se essa organização não ocorreu, os bares, restaurantes, pizzarias, lanchonetes e buffets não podem pagar!

A entidade não para de receber notícias de encerramento de empresas do setor, que já perdeu cerca de 20%. Se todos os recursos financeiros e esforços governamentais têm sido pela saúde, como pode a saúde estar padecendo dessa forma, após um ano de pandemia? Não tem lógica!

Fechar bares e restaurantes a noite e aos finais de semana só vai aumentar a aglomeração nas festas em residências, nas baladas clandestinas e pontos de encontro de jovens que não são fiscalizados pelo poder público. Bares e restaurantes são locais seguros que atuam com respeito a todas as recomendações sanitárias e de distanciamento. Quando o setor reabriu suas portas, em julho de 2020, não se verificou aumento de casos de Covid -19. Isso ocorreu após as eleições e as festas de final de ano.

Essa medida trará inequívocos prejuízos e consequente desemprego no setor que mais gera postos de trabalho na região metropolitana oeste!

A equipe que orienta o Governador precisa olhar o todo e reverter rapidamente essa desastrada medida.

Diretoria Executiva do SinHoRes Osasco – Alphaville e Região

Sindicato Empresarial de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares“.

Comentários