Editorial: Desfaçatez

0
Editorial: Governo precisa ouvir os trabalhadores

Para quem esperava que a crise política acabaria com o impeachment da presidente Dilma Rousseff, as notícias diárias de escândalos envolvendo figuras importantes do governo de Michel Temer ou aliados são um balde de água fria.

publicidade

Só nas duas últimas semanas, o então ministro da Cultura, Marcelo Calero, deixou o cargo acusando o ministro de Governo, Geddel Vieira Lima, um dos ministros mais próximos de Temer, de pressioná-lo para atender a seus interesses pessoais, liberando um empreendimento no qual Geddel tem propriedades em uma área tombada de Salvador.

Trata-se de uma denúncia gravíssima, mas que ficou por isso mesmo. Temer se apressou em bancar a permanência de Geddel no governo. Nesta quinta, 24, o próprio Temer foi acusado por Calero, em depoimento à Polícia Federal, de pressioná-lo para atender ao pedido de Geddel. Um novo escândalo que pode ferir de morte o governo Temer.

publicidade

Durante a semana, causaram indignação as notícias de que deputados, a maioria da base aliada do governo, articulam a anistia a quem já praticou Caixa 2 em meio ao projeto de lei que estabelece medidas contra a corrupção (PL 4.850/16). Quanta ironia, um projeto contra a corrupção que beneficiaria corruptos.
Como não poderia deixar de ser, esse tapa na cara da sociedade brasileira foi alvo de protestos.

Pressionados, os deputados adiaram a votação do projeto, que deve ocorrer na semana que vem. Cabe à sociedade ficar atenta, para não ser ludibriada em um projeto no qual negociações têm sido feitas a portas fechadas, na calada da noite, no Congresso Nacional. Aliados de Temer indicam que a tal “velha política” continua firme, forte e com cada vez mais desfaçatez.

publicidade

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorVisão Atenta
Próximo artigoRenato Rovai: Neymar na cadeia?