Executivo acusa “forte esquema”

0

Alckmin---Marcelo-Camargo-A
Foto: Marcelo Camargo/ABr

publicidade

Em relatório entregue ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), o ex-diretor da Siemens Everton Rheinheimer faz menção a diversos políticos ligados ao PSDB no esquema de propinas no escândalo do propinoduto tucano no Metrô e na CPTM.

Segundo matéria do jornal O Estado de S. Paulo desta quinta-feira, 21, Rheinheimer afirmou ter em seu poder “uma série de documentos que provam a existência de um forte esquema de corrupção no estado de São Paulo durante os governos [Mário] Covas, [Geraldo] Alckmin e [José] Serra, e que tinha como objetivo principal o abastecimento do caixa 2 do PSDB e do DEM”.
“Trata-se de um esquema de corrupção de grandes proporções, porque envolve as maiores empresas multinacionais do ramo ferroviário como Alstom, Bombardier, Siemens e Caterpillar e os governos do estado de São Paulo e do Distrito Federal”, disse o ex-diretor da Siemens.

publicidade

O documento cita o senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), os secretários estaduais José Aníbal (Energia), deputado (PSDB-SP); Jurandir Fernandes (Transportes Metropolitanos) e Rodrigo Garcia (Desenvolvimento Econômico).
Rheinheimer trabalhou por 22 anos na Siemens, até março de 2007, e foi diretor da divisão de Transportes da multinacional.

publicidade
Comentários